21 de mar de 2018

Ney Latorraca, o homenageado da noite, relembrou alguns de seus melhores momentos nos palcos São Paulo, 20 de março de 2018 – Os espetáculos “Refluxo” e “Grande Sertão: Veredas” foram os mais premiados da 30ª edição do Prêmio Shell de Teatro de São Paulo. O primeiro ficou com os troféus de Autor e Cenário, para Angela Ribeiro e Eric Lenate, respectivamente. Já o espetáculo que traz uma adaptação do romance de Guimarães Rosa foi contemplado com os prêmios de Direção, para Bia Lessa, e de melhor Ator, para Caio Blat. Ilana Kaplan, que levou o troféu de melhor atriz pela comédia “Baixa terapia, uma comédia no divã”, ressaltou a longevidade da premiação e a importância da iniciativa da Shell e enalteceu o trabalho das colegas que disputaram na mesma categoria que ela. “Esse prêmio é para todo mundo que faz comédia no Brasil. Normalmente, a comédia é subestimada na hora de premiar”, disse. Homenagens A atriz Cláudia Ohana era só felicidade ao falar de Ney Latorraca, homenageado desta edição e com quem dividiu os palcos recentemente em “Vamp, o Musical”. No telão, fotos de alguns dos trabalhos mais marcantes do ator como “Entre quatro paredes”, “Othelo”, “Capitanias Hereditárias” e “Irma Vap”. “Eu sempre representei para sobreviver”, contou Latorraca. Outra homenageada da noite foi a vereadora carioca Marielle Franco. O ator Caio Blat e Angela Ribeiro, vencedora na categoria Autor, dedicaram seus prêmios a Marielle, que faleceu na última semana, no Rio de Janeiro. Sobre o Prêmio O prêmio, que consagra artistas e técnicos que se destacaram nos palcos do Rio de Janeiro no último ano, é dividido em nove categorias: autor, diretor, ator, atriz, cenário, iluminação, música, figurino e inovação. Os vencedores de cada categoria receberão uma escultura em metal do artista plástico Domenico Calabroni, com a forma de uma concha dourada, inspirada no logotipo da Shell, e uma premiação individual de R$ 8 mil. Com três décadas de história, o Prêmio Shell de Teatro é referência nos palcos brasileiros. Em cada edição do prêmio são divulgadas duas listas de indicados ao longo do ano, com as peças que estrearam no primeiro e segundo semestres. O júri de São Paulo é comporto por Evaristo Martins de Azevedo, Lucia Camargo, Luiz Amorim, Maria Luisa Barsanelli e Renata Melo. Veja a lista completa dos vencedores da 30ª edição do Prêmio Shell de Teatro de São Paulo: Autor: Angela Ribeiro por “Refluxo” Direção: Bia Lessa por “Grande Sertão: Veredas” Ator: Caio Blat por “Grande Sertão: Veredas” Atriz: Ilana Kaplan por “Baixa terapia, uma comédia no divã” Cenário: Eric Lenate por “Refluxo” Figurino: Ronaldo Fraga por “A Visita da Velha Senhora” Iluminação: Wagner Pinto por “Dilúvio” Música: Marcelo Pellegrini por “Pagliacci” Inovação: “Grupo XIX de Teatro” pela manutenção da sede na Vila Maria Zélia, na Zona Leste, e parceria com artistas de áreas diversas.



Ney Latorraca, o homenageado da noite, relembrou alguns de seus melhores
momentos nos palcos
 Os espetáculos “Refluxo” e “Grande Sertão: Veredas” foram os mais premiados da 30ª edição do Prêmio Shell de Teatro de São Paulo. O primeiro ficou com os troféus de Autor e Cenário, para Angela Ribeiro e Eric Lenate, respectivamente. Já o espetáculo que traz uma adaptação do romance de Guimarães Rosa foi contemplado com os prêmios de Direção, para Bia Lessa, e de melhor Ator, para Caio Blat.

Ilana Kaplan, que levou o troféu de melhor atriz pela comédia “Baixa terapia, uma comédia no divã”, ressaltou a longevidade da premiação e a importância da iniciativa da Shell e enalteceu o trabalho das colegas que disputaram na mesma categoria que ela. “Esse prêmio é para todo mundo que faz comédia no Brasil. Normalmente, a comédia é subestimada na hora de premiar”, disse.

Homenagens

A atriz Cláudia Ohana era só felicidade ao falar de Ney Latorraca, homenageado desta edição e com quem dividiu os palcos recentemente em “Vamp, o Musical”. No telão, fotos de alguns dos trabalhos mais marcantes do ator como “Entre quatro paredes”, “Othelo”, “Capitanias Hereditárias” e “Irma Vap”. “Eu sempre representei para sobreviver”, contou Latorraca.

Outra homenageada da noite foi a vereadora carioca Marielle Franco. O ator Caio Blat e Angela Ribeiro, vencedora na categoria Autor, dedicaram seus prêmios a Marielle, que faleceu na última semana, no Rio de Janeiro.  

Sobre o Prêmio

O prêmio, que consagra artistas e técnicos que se destacaram nos palcos do Rio de Janeiro no último ano, é dividido em nove categorias: autor, diretor, ator, atriz, cenário, iluminação, música, figurino e inovação. Os vencedores de cada categoria receberão uma escultura em metal do artista plástico Domenico Calabroni, com a forma de uma concha dourada, inspirada no logotipo da Shell, e uma premiação individual de R$ 8 mil.

Com três décadas de história, o Prêmio Shell de Teatro é referência nos palcos brasileiros. Em cada edição do prêmio são divulgadas duas listas de indicados ao longo do ano, com as peças que estrearam no primeiro e segundo semestres. O júri de São Paulo é comporto por Evaristo Martins de Azevedo, Lucia Camargo, Luiz Amorim, Maria Luisa Barsanelli e Renata Melo. 

Veja a lista completa dos vencedores da 30ª edição do Prêmio Shell de Teatro de São Paulo:

Autor:
Angela Ribeiro por “Refluxo” 
Direção:
Bia Lessa por “Grande Sertão: Veredas”
Ator:
Caio Blat por “Grande Sertão: Veredas”
Atriz:
Ilana Kaplan por “Baixa terapia, uma comédia no divã”

Cenário:
Eric Lenate por “Refluxo”
Figurino:
Ronaldo Fraga por “A Visita da Velha Senhora”
Iluminação:
Wagner Pinto por “Dilúvio”

Música:
Marcelo Pellegrini por “Pagliacci”
Inovação:
“Grupo XIX de Teatro” pela manutenção da sede na Vila Maria Zélia, na Zona Leste, e parceria com artistas de áreas diversas.

Nenhum comentário: