12 de jul de 2017

Startup de soluções para transmissão ao vivo, Netshow.me recebe novo aporte de capital


Empresa, que integra portfólio de startups da Wayra, conquista novos sócios de peso para acelerar o crescimento.
Criada há três anos, a startup Netshow.me acaba de receber um aporte de capital no valor de R$ 1,2 milhão para acelerar seus negócios. A empresa abriu uma rodada de investimento no início do ano e fechou a captação liderada pela Provence Capital, fundo de venture capital que aposta em empresas iniciantes. Com isso, já chega a R$ 2,2 milhões o total de aporte acumulado pela Netshow.me desde o início de suas operações.
A startup participou do programa de aceleração da Wayra Brasil, veículo de investimento do programa de inovação aberta da Telefónica Open Future, que aplicou R$ 200 mil em seu desenvolvimento entre 2015 e 2016. No período, a empresa conseguiu ampliar seu faturamento em mais de oito vezes. Com o novo aporte, a Netshow.me pretende aumentar a equipe comercial e fortalecer sua rede de produtores de transmissões ao vivo. O objetivo, segundo Daniel Arcoverde, um dos fundadores, é fortalecer a posição de referência em transmissões ao vivo no mercado nacional.
“Estamos vivendo um rápido crescimento no mercado B2B, após o aprendizado e os contatos que adquirimos na Wayra”, afirma o empreendedor. Para Marcelo Mitre, responsável pela Divisão de Venture Capital da Provence, a resiliência dos empreendedores e o potencial de crescimento da startup foram decisivos para sua inclusão no portfólio do fundo. “Estamos felizes com o investimento e certamente a Netshow.me irá decolar”, afirmou o executivo. A Provence já conta com grandes cases de sucesso, como Gympass e Acesso Card.
Novo modelo de negócio
A Netshow.me começou como uma plataforma de apresentações musicais pela internet, mas durante a fase de desenvolvimento na Wayra, mudou radicalmente seu modelo de negócio. "O modelo era bom, mas exigia uma escala muito grande de artistas usando a ferramenta para que sobrevivêssemos", conta Rafael Belmonte, também fundador da startup. Segundo ele, a mudança previa oferecer uma solução completa de software, produção e infraestrutura de transmissão de vídeo para empresas. Uma das principais medidas era utilizar uma rede de produtoras parceiras em todo o país.
Além disso, a ferramenta passou a ter novas opções de interação, como captura de informações da audiência dos vídeos e a possibilidade de vender produtos ao vivo. Hoje, são cerca de 150 transmissões ao vivo por mês para mais de 40 clientes, como Santander, Saraiva, Telefônica, SBT, Esporte Interativo, Impacta, ProXXIma, entre outros.          
Sobre o TOF: Telefónica Open Future_ é uma plataforma global desenvolvida para conectar empreendedores, startups, investidores e instituições públicas e privadas que buscam oportunidades em inovação e negócios. O objetivo é apoiar talentos em todas as fases de crescimento, por meio de uma metodologia completa de aceleração e conexão com organizações, investidores e empresas. O programa integra em uma rede global todas as iniciativas de inovação aberta, empreendedorismo e investimento do grupo Telefónica, detentora da marca Vivo no Brasil: Pense Grande, Talentum Startups, Crowdworking, Wayra, fundos de investimento Amérigo, fundo corporativo Telefónica Ventures. Até o momento, foram analisados 51 mil projetos e realizados investimentos em mais de 700 startups, de um total de mais de 1.600 aceleradas. O Telefónica Open Future_ tem presença em 17 países e junto com seus sócios comprometeu 445 milhões de euros para investimento. Mais informações em: https://www.openfuture.org/pt

Nenhum comentário: