18 de nov de 2016

6 causas de infertilidade masculina que você precisa saber

Você sabia que boa parte (ou maioria) dos casos de dificuldade para engravidar se dá justamente por conta da infertilidade do homem? É nesse momento que a consulta com um especialista faz toda a diferença, de acordo com o urologista e especialista em saúde masculina e fertilidade, Guilherme Leme, que listou seis causas para o problema.

Não dá para falar no assunto sem mencionar os anabolizantes. Principalmente porque nas academias o assunto é popular e está associado a uma suposta melhoria de desempenho no treino. O que poucos sabem, e até mesmo ignoram, são os efeitos colaterais do uso dessas substâncias. 

“Os esteroides anabolizantes podem gerar um ambiente intratesticular desfavorável, que pode levar à fibrose do testículo com possibilidade de dano permanente à produção de espermatozoides. Infelizmente, mesmo sabendo dos riscos, os mais jovens deixam a preocupação dos efeitos adversos e preferem a estética”, observa o urologista.

Outro ponto desconhecido pela maioria dos homens são as anormalidades encontradas no espermograma, sendo as mais comuns a oligozoospermia (redução no número de espermatozoides presentes na ejaculação), a astenozoospermia (diminuição da capacidade de movimentação dos espermatozoides) e a teratozoospermia (defeitos no formato dos gametas masculinos). 

Quando o problema é a quantidade de espermatozoides reduzida, as causas mais frequentes são os desajustes hormonais, os problemas testiculares causados por exposição a substâncias medicamentosas ou não, e até mesmo causas genéticas. Já os problemas de movimentação espermática costumam estar mais relacionados a infecções que passam despercebidas, problemas de ordem imunológica ou defeitos na formação da cauda dos espermatozoides. 

Os defeitos de formato, por sua vez, são habitualmente relacionados a situações de stress biológico ao organismo como um todo, como em fumantes, pessoas muito expostas à poluição ou indivíduos realizando tratamentos médicos crônicos.  Leme acrescenta que que as possibilidades de gestação envolvem perfeitas condições biológicas do casal, e por isso o sucesso dependerá também das condições de saúde e idade da parceira.

A varicocele (dilatação das veias dos testículos) é mais uma pedra do caminho do casal com planos de gerar filho. Embora há casos onde o homem consiga conviver com a alteração sem prejuízos, até 40% do total de diagnosticados podem apresentar piora da qualidade do sêmen e dificuldade em conseguir gestação.

“De todas as causas de infertilidade que podem acometer o homem, a varicocele é sem dúvida aquela em que a atuação médica mais pode contribuir. A microcirurgia para correção da varicocele pode não só aumentar as chances de gestação espontânea, mas também incrementar as possibilidades de sucesso de tratamentos como a fertilização in vitro ou a inseminação intrauterina”, explica.

Também não é novidade para ninguém que os hábitos como o tabagismo é prejudicial à saúde. Pesquisas apontam que 35% dos homens em idade reprodutiva que fumam, estão sujeitos a redução na qualidade do sêmen, incluindo concentração de espermatozoides, motilidade, morfologia e funcionalidade espermática, além das alterações nos níveis hormonais. O uso excessivo de álcool e de drogas como a maconha também afetam diretamente o funcionamento dos gametas masculinos.

Popular em todas as idades, o smartphone entrou para a lista de item que causa o problema e foi tema de pesquisa conduzida por cientistas da Universidade de Newcastle, na Austrália. Os estudos apontam evidencias suficientes para dizer que a radiação emitida pelo aparelho diminui e prejudica a qualidade do esperma.

“O celular é carregado muito perto do genital e sabemos que ele realmente emite ondas. De certa forma, isso pode causar impactos negativos”, diz. "Não podemos ser categóricos em apontar este ponto como crucial, mas pode ser interessante manter o celular longe do bolso da calça.", complementa.

Não é exagero quando os médicos recomendam atividades físicas e controle de peso como forma de prevenção de doenças. Estar obeso ou estressado aumenta a predisposição também para infertilidade. A explicação é simples: alterações hormonais que levam à diminuição no número de espermatozoides e a problemas como redução da potência e dificuldade de ejaculação.

Em todos os casos dois passos são importantes, de acordo com Leme. “O primeiro deles é cultivar hábitos saudáveis, que só terão a contribuir em termos de otimização da fertilidade. O segundo é sempre procurar a orientação de um médico, que vai investigar e tratar as verdadeiras causas do problema, o que certamente encurtará o caminho até a gravidez”.


 
 

Sandra Camillo
Editora Chefe
https://www.facebook.com/sandra.camillo

Nenhum comentário: