2 de ago de 2016

O esporte e os super-humanos



*Cristiano Parente


Quando trabalhamos com a área de Educação Física e Esporte, sempre recebemos perguntas sobre o desempenho esportivo, treinamentos suplementos, etc. Muitas pessoas, principalmente os jovens que gostam da competição, se entusiasmam ao ver disputas de habilidades, capacidades, táticas e emoções.
O esporte é realmente encantador. Mesmo para os que gostam apenas de admirar a beleza dos movimentos e os esforços extremos de superação, sem se envolver na prática, o esporte atrai os olhares mais distantes.
Ser atleta e estar envolvido na prática esportiva, contudo, vai muito além do espetáculo e do gosto pelo esporte. O nível competitivo envolve dedicação extrema, desapego familiar e social, foco emocional, convivência contínua com a dor e o esforço na maioria das vezes além do saudável.
Ser atleta é viver na corda bamba onde, de um lado, se tem o sucesso, com pequena chance de queda, e, do outro, o fracasso, puxando com todas as forças possíveis, já que apenas um sairá como vencedor oficialmente. Ser atleta é conviver, assim, com um turbilhão de emoções, sensações e experiências, que somente verdadeiros super-humanos podem suportar.
Chamá-los de super-humanos não é nenhum exagero. Os fora de série são a soma de uma genética absolutamente favorável com a experiência ultra precoce de contato com a modalidade de maneira positiva em termos de vivências e estímulos.
Nesta equação, também se soma o prazer e o encantamento por essa modalidade, juntamente com condições de desenvolvimento social, econômico, emocional, técnico e tático, sem deixar de citar vasta sorte de fatores externos não interferirem com força capaz de tirar o foco e o atleta de seu caminho que, ainda assim, talvez, será de sucesso somente por algum tempo.
Viver com a dor, com o risco, medo, com a pressão social e pessoal, na qual o resultado positivo significa a sobrevivência e a comida na mesa, definitivamente não é para qualquer mortal.
Há um grande time de atletas reunidos do mundo todo, em busca do sucesso pessoal e de suas nações. Vai começar o maior evento esportivo do planeta. Para muitos, a única chance na vida de participar de uma oportunidade como essa. Uma situação de absoluta pressão. Cada super-humano diante de seus familiares, amigos e compatriotas que podem ficar felizes ou tristes se você se atrasar um centésimo de segundo.
Serão mais de dois bilhões de pessoas no mundo que acompanharão sua performance, com muitos torcendo para o erro de um em detrimento do sucesso de outro. Por tudo isso, nossos atletas brasileiros pedem e merecem o nosso apoio incondicional. O apoio de tranquilizá-los, incentivá-los, respeitá-los e realmente fazer a diferença em prol do sucesso de cada um.
Sejamos as mães e pais de nossos atletas. Aqueles que vão estar sempre ao lado deles independentemente do resultado. Estejamos prontos para dar a mão na vitória e o ombro na derrota. Tenham certeza de que todos os atletas brasileiros querem ser os heróis do país, e pensem neles como nossos filhos e irmãos. Assim, faremos toda a diferença como anfitriões dessa linda festa que é a Olimpíada!
 *Cristiano Parente é professor e coach de educação física, eleito em 2014 o melhor personal trainer do mundo em concurso internacional promovido pela Life Fitness. É CEO da Koatch Academia, do World Top Trainers Certification, primeira certificação mundial para a atividade de educador físico.


Chile
Twitter - https://twitter.com/podculturachile
https://www.instagram.com/podculturachilena/


Sandra Camillo
Editora Chefe

Nenhum comentário: