27 de ago de 2016

Estreia do " De onde vem a água"




Websérie aborda a importância da floresta na manutenção do ciclo da água

Quarta-feira, dia 31 de agosto, estreia “De onde vem a água”, o próximo episódio da websérie doprojeto Volume VIVO, que aborda as causas e consequências da escassez hídrica na Grande São Paulo

estreia do “De onde vem a água”, terceiro episódio da websérie do projeto Volume Vivo, será no dia 31 de agosto (quarta-feira), às 20h, no auditório da biblioteca municipal Mário de Andrade, no centro de São Paulo. Após a exibição do curta de 21 minutos de duração, haverá um bate-papo com o público e alguns especialistas convidados, mediado pelo diretor da websérie, Caio Ferraz. A discussão visa trazer à tona questões essenciais de proteção a esse recurso natural esgotável.

No alvo do debate e do novo capítulo da websérie estarão o modo de uso e ocupação do solo no Brasil, fortemente marcado pelo desmatamento,  a alteração da velocidade da água,  os impactos nos ciclos de chuvas locais e a fixação de água no continente.

Partindo do princípio de que apenas 0,02% de toda água presente no planeta Terra é doce e disponível para o consumo e, que sua fonte, a chuva, vem sendo impactada por um modelo de produção que ignora os custos e serviços que a natureza nos presta,  a websérie levanta a reflexão sobre como podemos mudar nossa relação com a água, para garantir seu consumo no campo e nas grandes cidades brasileiras, como São Paulo.

Produzida a partir de financiamento coletivo, a websérie é composta por quatro episódios temáticos que buscam aprofundar o debate sobre segurança hídrica na Grande São Paulo. O objetivo é esclarecer que a situação vivida desde 2014, em várias regiões do Brasil, não é reflexo apenas de eventos climáticos extremos, mas resultado de um modelo de gestão da água que cria um processo de escassez.

"As florestas se desenvolveram durante milhões de anos com o objetivo de diminuir a velocidade com que a água volta pro mar.  Para isso, infiltram água no solo e a bombeiam para atmosfera, gerando um ciclo virtuoso de novas chuvas. Essa função da vegetação foi fortemente negligenciada desde o início da história do Brasil. Como resultado, hoje o país tem apenas 12% de sua Mata Atlântica original e continua devastando outros importantes biomas como o Cerrado e a Floresta Amazônica. Para lidarmos com a escassez de água, é necessário entendermos as funções desempenhadas pelas florestas no ciclo da água e trabalhar a seu favor", explica o diretor dawebsérie, Caio Ferraz, também, diretor do webdoc Entre Rios, que fala sobre como a cidade de São Paulo enterrou seus cursos d’água para ceder espaços para os automóveis.

SERVIÇO
O QUELançamento do terceiro episódio da websérie Volume Vivo – “De onde vem a água?”
QUANDO: Quarta-feira, dia 31 de agosto de 2016
ONDE: Auditório biblioteca municipal Mário de Andrade - Prédio Principal – 1° andar, entrada pela Rua da Consolação, 94 - Centro - São Paulo/SP (próximo ao metrô Anhangabaú)
HORÁRIO: entre 20 e 22h
INGRESSOS – Gratuitos. Retirada com uma hora de antecedência no local (sujeito à lotação)
CAPACIDADE DO AUDITÓRIO: 175 lugares (118 assentos no primeiro andar/ 57 assentos no mezanino)
OBS: Evento aberto para todas as idades


A ideia de mapear as causas e soluções, durante o auge da estiagem que se abateu na Grande São Paulo, entre 2014 e 2015, quando ninguém sabia as reais consequências do uso do volume morto no sistema Cantareira, foi o ponto de partida do projeto. Dessa incerteza de grande parte da população paulistana surgiu a ideia de uma pesquisa audiovisual para informar o que a grande mídia contava de modo superficial.
A partir de uma websérie, que vem sendo disponibilizada gratuitamente na internet,  busca-se esclarecer as tantas questões em torno do colapso hídrico na região, partindo da premissa de que crises hídricas são o momento oportuno para refletirmos sobre o uso deste recurso, essencial à vida humana, na região mais populosa do Brasil. Com o decorrer do tempo, os canais de mídias sociais do projeto foram aumentando o tráfego e, hoje, são o que mantém o público conectado durante a produção de um episódio e outro.
Os dois primeiros episódios, lançados no ano passado, já estão disponíveis gratuitamente no website do projeto e têm servido como ferramenta para debates desde o auge da crise hídrica.

Financiada coletivamente, via crossfunding, a produção audiovisual contou com o patrocínio da SOS Mata Atlântica, Bem-te-vi Diversidade, WRI Brasil, Bananal e Spaventura Ecolodge, além do apoio da Aliança pela Água, coalizão formada por 60 organizações, entre elas o projeto Volume VIVO.
O projeto é uma iniciativa do diretor da websérie, Caio Ferraz (o mesmo do webdoc Entre Rios), com a colaboração da jornalista Ana Rosa Colhado e dos produtores audiovisuais: Alexandre Cristófaro ,Aline Marques, Andrei Moyssiadis, Bruna Leonardi, Diego Lajst, Fernanda Sindlinger, Luiz Romero, Marcos Bruvic, Paulo Plá, Renato Helena, Rogério Lima e Rogério Nunes.

SOBRE ENTRE RIOS

Webdoc sobre a urbanização de São Paulo sob a perspectiva de seus rios e córregos, dirigido por Caio Ferraz (mesmo diretor da websérie do projeto Volume VIVO).

O vídeo, que em 2010 viralizou na internet, hoje soma mais de 900 mil visualizações. É também exibido em diferentes canais de TV e bastante utilizado como ferramenta de educação ambiental para alunos do ensino fundamental e superior.


Sandra Camillo
Editora Chefe
https://www.facebook.com/sandra.camillo

Nenhum comentário: