2 de ago de 2016

Atleta olímpica Juliana Cabral (futebol) dá aulas de ed. física em colégio paulistano

Como zagueira da seleção feminina, Juliana Cabral conquistou o ouro nos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo de 2003 e a prata na Olimpíada de Atenas em 2004 

Passando por cima dos preconceitos por ser mulher, com dedicação a treinos puxados e muita disciplina, a atleta olímpica Juliana Cabral, figura importante do futebol feminino brasileiro, atualmente comentarista da ESPN Brasil e professora de Educação Física do Ensino Fundamental e Ensino Médio do Colégio Franciscano Pio XII, dá o “caminho das pedras” para os jovens que gostariam de se tornar atletas profissionais. “É preciso ter muita dedicação, determinação e muita disciplina. Dependendo da modalidade, há vários clubes com estrutura desde a base, mas, dependendo da idade, o que vale mesmo é brincar e se divertir com a modalidade antes de torná-la tão séria”, afirma.

A atleta começou no futebol ainda pequena, jogando bola com o irmão em casa, na rua e na escola. Sua mãe resolveu levá-la para fazer um teste em um time de salão. Ela passou e, assim, iniciou sua trajetória que teria como ponto alto a seleção brasileira. “Lembro de assistir às Olimpíadas de 92, em Barcelona. Depois dos jogos, corria para rua para jogar”, comenta. Nas Olimpíadas de 96, em Atlanta, quando viu o jogo de futebol feminino, teve a certeza de que queria ser como aquelas jogadoras e sonhava em disputar uma Olimpíada. “Quatro anos depois, com 18 anos, conquistei meu sonho e disputei minha primeira Olimpíada, em Sydney, no ano 2000. Foi mágico e inesquecível”, se emociona. Em 2004, conquistou a medalha olímpica. “Subir ao pódio foi maravilhoso, uma emoção indescritível. Passa o filme da sua vida em segundos em sua mente, como todos os sacrifícios, obstáculos e sonhos resumidos naquele momento e a sensação de que tudo valeu a pena”.

Quanto às lições que o esporte pode proporcionar às crianças, Juliana relata que são vários, desde a questão física até a cognitiva. “Além de se tornar um adulto com hábitos saudáveis, é por meio do esporte que ela pode se socializar, aprender o limite do outro e seu próprio limite, respeitar o próximo, entender o quanto a disciplina é importante, aprende a trabalhar em grupo, a criar estratégias em grupo e individualmente. O esporte é muito rico em todos os sentidos”, finaliza.

Juliana foi jogadora de futebol durante 13 anos, disputando dois Mundiais, duas Olimpíadas, sendo que em uma delas conquistou a medalha de prata, em 2004 (Atenas). Foi bicampeã sul-americana, em 98 e 2003, além de ter conquistado medalha de ouro no Pan-Americano de 2003. Jogou fora do país em duas oportunidades, em 2004 no Koppaberg Gotenborg, na Suécia, e em 2006 no By State Select, nos Estados Unidos. No Brasil, atuou em clubes como São Paulo, Vasco, Corinthians, além do time de São Bernardo do Campo, Jaguariúna, Associação Sabesp, entre outros. Depois, tornou-se comentarista esportiva, passando pela TV Bandeirantes e BandSports em alguns jogos, RedeTV, Rádio Globo e, atualmente, na ESPN Brasil como comentarista.  Para Juliana, não existe outra fórmula para se chegar ao sucesso que não seja por meio do trabalho. “Quando vemos um atleta olímpico no pódio ou disputando uma Olimpíada, vemos o atleta pronto, mas a maioria não imagina o quanto é difícil chegar até ali. Os desafios e obstáculos são enormes, mas a determinação e a esperança em busca do sonho devem ser intransponíveis”.

Formada em Educação Física desde 2011 e atualmente cursando pós-graduação em Treinamento Desportivo, trabalha no Colégio Franciscano Pio XII desde 2008.


Sobre o Colégio Franciscano Pio XII
O Colégio Franciscano Pio XII foi fundado em 1954 com o compromisso educacional conduzido pela filosofia franciscana. Há mais de 60 anos forma gerações com o diferencial de educação em constante diálogo entre o conhecimento acadêmico e a formação humana, entendendo o educando como agente de transformação social, que atua em prol do fortalecimento de um mundo justo e fraterno.

Nenhum comentário: