12 de jun de 2015

Os músicos Fábio Luna, Marcelo Caldi e Edu Krieger – Crédito foto: Natalia Voss / divulgação




Os músicos Fábio Luna, Marcelo Caldi e Edu Krieger – Crédito foto: Natalia Voss / divulgação

Shows em homenagem aos 70 anos de Gonzaguinha reúnem talentos da nova geração da MPB, 
como Fábio Luna, Marcelo Caldi e Edu Krieger​ e têm a participação especial de Daniel Gonzaga, filho do artista.

CAIXA Cultural São Paulo apresenta, a partir dessa quinta (11), até o domingo, 14 de junho, a série de shows Gonzaguinha, Tudo Outra Vez. O projeto, que é inédito e tem entrada franca, homenageia Gonzaguinha (1945-1991), que faria 70 anos em 2015. Os talentosos músicos Fábio Luna, Marcelo Caldi  e Edu Krieger convidam Daniel Gonzaga, filho de Gonzaguinha, com quem dividem o palco e cantam sucessos de público e de crítica do compositor carioca.
O trio, que já havia homenageado Luiz Gonzaga  no seu centenário, une-se novamente para cantar composições de Gonzaguinha, que marcaram toda uma era, como “Grito de Alerta”, “Explode Coração”, “O Que É? O Que É?”, “Começaria Tudo Outra Vez”, “Comportamento Geral”, "Sangrando" e muitas outras​. Fabiano Salek completa o grupo, na bateria.


Sobre os Artistas:

Marcelo Caldi e Fábio Luna tocam e cantam juntos há anos. Em 2009 gravaram o CD instrumental "Forró e choro Vol. I", finalista do Prêmio da Música Brasileira  como melhor CD instrumental. Participam nos CDs solo de cada um: Marcelo tocou nos CDs "Macunguê-ará e "Presente, Futuro e passado" de Fábio, e este participou dos CDs "Cantado" e "Tem Sanfona no choro", de Caldi.

Caldi e Luna já haviam gravado uma versão de "Espere por mim, morena" em seu CD em duo e agora fazem um show recheado de outras belas canções de Gonzaguinha, recebendo como convidado especial seu filho, Daniel Gonzaga.

Luna é cantor e multi-instrumentista e atua há quatro anos no grupo “Os Cariocas”, um dos mais importantes e longevos da música popular brasileira.  Atuando também tem carreira-solo, Luna teve seu mais recente trabalho “Presente, Futuro e Passado”, com composições próprias, bastante elogiado pela crítica.

Caldi é pianista e sanfoneiro, profundo conhecedor da obra dos mestres da sanfona e premiado pela Funarte por seu trabalho em homenagem a Gonzagão. Tocou com a Sinfônica do Recife e fez shows com Elba Ramalho, Dominguinhos e outros craques da MPB.

Edú Krieger é compositor, violonista e baixista, com músicas gravadas por Ana Carolina e Adriana Calcanhoto, entre outras. Tendo gravado dois CDs, há anos leva o samba e suas composições para novas audiências.

Com sete CDs gravados, Daniel Gonzaga demonstra o talento musical herdado do avô, Luiz Gonzaga, o rei do baião, e do pai, Gonzaguinha, de quem herdou um timbre assemelhado e a quem homenageou com o Cd “Comportamento Geral”.


Sobre Gonzaguinha:


Nascido Luiz Gonzaga do Nascimento Júnior, em 22 de setembro de 1945, no Rio de Janeiro, Gonzaguinha é filho do compositor e cantor Luiz Gonzaga e pai do compositor e cantor Daniel Gonzaga. Aprendeu a tocar violão com o padrinho  e aos 14 anos, compôs sua primeira música: "Lembranças da primavera".

Iniciou sua carreira artística em 1968 e no ano seguinte juntou-se a Ivan Lins, Aldir Blanc, entre outros, no Movimento Artístico Universitário (MAU).   Participou de festivais musicais e em 1973 lança o seu primeiro CD “Luiz Gonzaga Jr.", com destaque para sua composição "Comportamento geral".

Em 1975, lançou o CD "Plano de vôo", que registrou, entre outras, as canções "Mundo novo, vida nova" e "Geraldinos e Arquibaldos". Em 1976, sua carreira musical deu um salto com a gravação do CD "Começaria tudo outra vez", com destaque para a faixa-título e "Espere por mim, morena", além da gravação de "Asa Branca" (Luiz Gonzaga). Com esse disco, sua carreira de compositor ganhou impulso. Foram vários CDs de sucesso e algumas composições marcantes na voz de intérpretes como Maria Bethânia e o grupo As Frenéticas.

Em 1980, lançou o LP "Gonzaguinha: de volta ao começo", com destaque para "Ponto de interrogação", "Grito de alerta", "Sangrando", sucessos nacionais e, em 1982, novo sucesso com o samba “O Que É? O Que É?”.
Outras composições bastante conhecidas e queridas do publico são "Galope", "A felicidade bate à sua porta", "Explode coração", "Petúnia Resedá", "Grito de alerta" "Um homem também chora", "Eu apenas queria que você soubesse", "Agora" e "Preto que satisfaz" (da trilha sonora da novela "Feijão Maravilha").
Gonzaguinha faleceu no dia 29 de abril de 1991, após sofrer um acidente automobilístico em uma rodovia, no interior do Paraná.

Serviço:
Show: “Gonzaguinha, Tudo Outra Vez”
Período:  de 11 a 14 de junho de 2015 (quinta-feira a domingo)
Horário: sempre as 19h15
Local: CAIXA Cultural São Paulo – Praça da Sé, 111 – Centro – São Paulo (SP)
Entrada Franca: os ingressos poderão ser retirados na bilheteria a partir das 12h do dia do evento. Limitado a um par por pessoa.
Capacidade: 80 lugares
Duração: 1h25 minutos
Classificação indicativa: livre
Informações: (11) 3321-4400
Acesso para pessoas com deficiência
Patrocínio: Caixa Econômica Federal

Nenhum comentário: