6 de fev de 2015

Destaques do teatro brasileiro disputam Prêmio Governador para a Cultura

Grandes destaques do Teatro brasileiro aparecem entre os finalistas do Prêmio Governador do Estado de São Paulo para a Cultura 2014. A votação popular já começou e a lista dos 45 finalistas nas categorias Arte para Crianças, Artes Visuais, Circo, Dança, Música, Cinema, Teatro, Instituição Cultural e Territórios Culturais está disponível no site oficial: www.premiogovernador.sp.gov.br. A votação popular termina no dia 19 de fevereiro e os vencedores serão anunciados em uma cerimônia oficial, no Theatro São Pedro, na noite de 23 de fevereiro.
Em comemoração aos seus 30 anos, o Grupo Tapa promoveu a ocupação do Teatro de Arena Eugênio Kusnet com uma mostra de espetáculos de seu repertório e convidados. O projeto “Tapa na Arena – Uma ponte na História” apresentou as obras “Breu”, de Pedro Brício, “Senhorita Júlia”, de August Strindberg, “As Viúvas”, de Arthur Azevedo, entre outras montagens. Fundado dentro da PUC-Rio, o grupo de profissionalizou em 1979, após um curso com o Teatro dos 4.
Já Roberto Alvim concorre com os espetáculos “Tríptico Samuel Beckett”, que apresenta uma história com três atrizes atuando em três tempos diferentes, representando infância, fase adulta e velhice coexistindo no mesmo palco, e “Terra de Ninguém”, baseada em obra do autor inglês Harold Pinter (1930-2008). Alvim é dramaturgo, diretor e professor de Artes Cênicas, já escreveu e dirigiu 20 peças no Brasil, França, Argentina e Suíça.
O jornalista e dramaturgo Sergio Roveri concorre na categoria pelos textos “Medéia 1: verbo”, “Palavra de Rainha” e “Tempos de Marilyn”, apresentados em São Paulo, originados de seu livro mais recente “M – Medeia, Maria e Marilyn”, publicado em 2014 pela Giostri Editora. Natural de Jundiaí, Roveri já trabalhou na Editora Abril e no Jornal da Tarde, como repórter, redator e editor de Variedades. Estreou como autor teatral em 2003, com a peça “Vozes Urbanas”.
Dentre os projetos que competem pelo prêmio, o Projeto Karamázov, da Companhia da Memória, é dividido em três espetáculos: “Uma anedota suja”; “Karamázov: Os irmãos” e “Karamázov: “Os meninos”. Criadas a partir das obras “Uma história lamentável” e “Os irmãos Karamázov”, de Fiódor Dostoiévski, as montagens formam um tríptico dramático em que a primeira história se apresenta como o embrião filosófico das outras duas. O projeto tem direção de Ruy Cortez. Já o Projeto Odisseia Cacildas, do Teat(R)o Oficina Uzyna Uzona, dedicou-se ao longo dos últimos dois anos à apresentação de cinco montagens sobre uma das principais personalidades da dramaturgia brasileira: Cacilda Becker. São elas: “Walmor y Cacilda 64 – Robogolpe”; “Walmor y Cacilda 68 – Aqui Agora”; “Cacilda!!! – Glória no TBC”; “Cacilda!!!! – Fábrica de Cinema & Teatro e Cacilda!!!!! – A Rainha Decapitada”.
Promovido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, o Prêmio é uma forma de valorizar e incentivar a produção cultural paulista, contribuindo para o constante aprimoramento dos trabalhos apresentados para o público. Com o total de R$ 580 mil destinados aos vencedores na modalidade Voto do Júri e Destaque Cultural, a premiação é considerada uma das maiores do País, em valor, no segmento da cultura.
As novidades para esta edição são uma nova categoria, Arte para Crianças, especialmente dedicada às produções para o público infantil e a modalidade Inclusão Cultural, agora denominada Territórios Culturais, que reconhecem iniciativas de instituições, movimentos e programas independentes que reinventam as formas de relacionamento com o público. A votação e mais informações podem ser acessadas no sitewww.premiogovernador.sp.gov.br


 

Sandra Camillo
Editora Chefe
https://www.facebook.com/sandra.camillo

Nenhum comentário: