11 de out de 2014

O resgate familiar pode começar na Cozinha

Livro traz história do homem que aprendeu a estabelecer vínculos de afeto com sua filha por meio do paladar
Em O homem que amava comidas, o cozinheiro chef internacional Luiz Fernando Escouto revela como fez para expressar todo o amor que sente por sua filha. O livro é voltado para o público infantil, por conta das animações e do breve diálogo. A obra publicada pela EditoraPandorga tem um tom bem humorado e mostra a real essência da família: o amor.
“Era uma vez um homem...
O homem tinha uma filha...
A filha amava o homem...
E o homem amava comidas.”
Na história contada por Escouto, a menina ama seu pai, ele ama comidas, porém  tem dificuldade em dizer a garota que o sentimento era recíproco. Foi quando ele teve a ideia de utilizar a cozinha como algo atrativo para a filha. Seu repertório gastronômico é vasto, prepara iguarias de diversas culturas, com ingredientes variados. “A hora da refeição é o momento em que há o olho no olho, é o momento em que a gente se depara com a família em torno da mesa, o que possibilita o fortalecimento dos vínculos”, explica Escouto.
“Na cozinha, preparava sopa de capeletti, pães de mel, saladas com hortaliças e frutas, peixes assados, carnes grelhadas, massas com ervas, sucos aromáticos, enfim comidas de diversas culturas!”
O livro mostra que às vezes, o amor pode ser lembrado e demonstrado através de atos, cheiros, olhares, texturas, abraços e conversas. “O momento de refeição é um pretexto para nos relacionarmos e expressarmos o quanto nos amamos”, diz. Por isso, o personagem ensina à filha a importância de saborear e sentir o aroma de cada alimento. Apesar das comidas serem feitas para a garota, sempre que outras crianças frequentavam a casa havia um banquete, o que as atraiam de volta para saborear as delicias que ele preparava.
“As comidas eram feitas para a família, mas quando as amigas e amigos de sua filha chegavam, eram convidados a comer. Eles comiam e brincavam... riam e brincavam... e voltavam a comer...”
Escouto é Doutor em Ciências Agronômicas pela UNESP de Botucatu, Pós-graduado em Padrões Gastronômicos pela Universidade Anhembi Morumbi e Nutrição, Dietética e Dietoterapia pela Universidad de Navarra, na Espanha. Ele também é pesquisador do GEGASTRO (Grupo de Estudos e Pesquisas em Gastronomia - UNICSUL/SP), além de ser Cozinheiro Chef Internacional e Sommelier de Vinhos e Cervejas pelo SENAC de Águas de São Pedro.
            Luiz escreve desde os 20 anos, mas só depois dos 30 resolveu publicar alguns de seus textos. Apesar do livro ser direcionado para o público infantil, ele tem uma leitura objetiva e agradável, o que o torna prazeroso de ser lido por pessoas de todas as idades. Também é uma excelente leitura para os pais que queiram se aproximar das crianças por meio da culinária feita em casa, ou seja, fugir dos fast foods, restaurantes e aproveitar mais os momentos em família.
Os belos pratos ilustrados e a linda relação entre pai e filha descrita na obra, trazem à tona esta importância de conviver mais com quem se ama. “O projeto do livro
O homem que amava comidas tem uma proposta para todas as crianças inclusive aquelas que moram nos adultos”, finaliza o chef de cozinha.
Ficha Técnica
Formato: 24 x 25 cm
Páginas: 28
ISBN: 978-85-61784-72-0
Assunto: Ficção/ Infantojuvenil
Acabamento: Canoa
Preço: 29,90


Sobre o autor
Luiz Fernando Santos Escouto nasceu em São Leopoldo, Rio Grande do Sul, é Nutricionista, Cozinheiro Chef Internacional, Sommelier. Escreve desde seus 20 anos, mas foi depois dos 30 que começou a publicar alguns dos seus textos.



Lançamento do livro: O homem que amava comidas
Sessão de autógrafos
Onde? Bienal do Livro de São Paulo - Anhembi
Quando? 30 de agosto, sábado
Horário: 12 horas

 

Nenhum comentário: