11 de ago de 2014

Mês mundial de aleitamento materno - especialista da USP dá dicas de como conciliar

http://www.hospitaldaher.com.br/daher/wp-content/uploads/2013/08/amammentacao.jpgAleitamento Materno: confira alguns mitos e verdades da amamentação
Especialista da USP esclarece dúvidas das mulheres, como a influência de pílulas no leite materno e o período mais adequado para uma nova gravidez

A fase da amamentação traz uma série de dúvidas para as mães, como a possibilidade de uma nova gravidez neste período ou se a sua alimentação vai influenciar no desenvolvimento da criança. Em agosto, mês da Semana Mundial do Aleitamento Materno, estes temas ficam ainda mais em evidência. Confira alguns mitos e verdades esclarecidos pelo especialista em ginecologia e obstetrícia pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, Achilles Cruz.

1.      Amamentar é um método anticoncepcional 100% eficaz.
Mito. Algumas mulheres podem voltar a ovular mesmo no período da amamentação quando o ciclo menstrual está bloqueado devido à supressão dos hormônios. O ideal é que ela já comece a adotar algum tipo de método contraceptivo a partir da sexta semana após o parto. Logo no primeiro retorno ao ginecologista, o ideal é que a mãe converse sobre o método mais adequado para evitar uma nova gravidez em pouco tempo. Ele irá orientá-la sobre o uso de camisinha, DIU, implantes ou até mesmo as pílulas de progestagênio, que são as mais indicadas para esse período.

2.      A mulher que está amamentando pode tomar qualquer tipo de pílula.
Mito. Neste período, as pílulas mais indicadas são as de progestagênio, como o desogestrel, hormônio que inibe a ovulação. Livre de estrogênio, este princípio ativo não interfere na qualidade ou no volume do leite, não havendo interferência na alimentação do bebê.

3.      Engravidar enquanto está amamentando é benéfico
Mito. Não existe um intervalo estabelecido entre uma gravidez e outra, porém, é aconselhável que a mulher não engravide enquanto estiver amamentando, porque a sobrecarga da amamentação somada a uma nova gestação pode comprometer a saúde da mãe. 

4.      A alimentação da mãe influencia o leite.
Verdade. Tudo o que a mãe come acaba passando para o leite materno. Por isso, é importante que a mulher faça uma dieta variada e beba bastante líquido nesse período. O consumo de bebidas alcoólicas ou cigarros é contraindicado. Medicamentos, por exemplo, só devem ser tomados com orientação médica.

5.      Estresse influencia a produção de leite.
Verdade. Quando a mulher está muito cansada ou ansiosa, a produção do hormônio ocitocina, que é o responsável pela vasão do leite, é bloqueada. O leite não seca quando se está estressada, mas a sua descida pode ficar prejudicada.

6.      Amamentar faz bem para a saúde da mãe e do bebê
Verdade. Os bebês alimentados exclusivamente por leite materno até os seis meses de idade ficam mais protegidos contra inflamações, otites e diarreias. Segundo o Ministério da Saúde, as chances de a mãe desenvolver câncer de mama diminuem em 5% a cada 12 meses de aleitamento.

Nenhum comentário: