14 de jul de 2014

Morre a escritora sul-africana Nadine Gordimer, publicada pela Biblioteca Azul



Morre a escritora Nadine Gordimer

Biblioteca Azul publica Tempos de reflexão e Tempos de reflexão 2, que detalham como a Nobel de Literatura se tornou uma das mais importantes vozes contra a segregação racial.


Morreu dia 13/07, aos 90 anos, a escritora sul-africana Nadine Gordimer, ganhadora do prêmio Nobel de Literatura. Dela, a Biblioteca Azul, publica as memórias Tempos de reflexão e Tempos de reflexão 2. Conhecida por ser uma das principais vozes contra o apartheid, Nadine havia revelado em março que tinha câncer no pâncreas. 
"Quando comecei a escrever, com nove ou dez anos, eu escrevia com o que passei a acreditar ser a única verdadeira inocência - um ato sem responsabilidade. Pois basta observar crianças muito pequenas brincando juntas para ver como o impulso de influenciar, exigir submissão, defender a primazia trai a presença do 'pecado' humano natal, cujo castigo é a carga da responsabilidade. Eu estava sozinha. Nem sabia como meu poema ou história saíam de dentro de mim. Não era dirigido a ninguém, nem lido por ninguém", escreve Nadine Gordimer emTempos de Reflexão - de 1954 a 1989.
Em Tempos de reflexão - de 1990 a 2008, segundo e último volume da coletânea que abrange mais de 40 anos de carreira da escritora sul-africana,  ela trata do tema liberdade, ou a falta dela - assunto no qual a escritora mantém constantemente seu foco de atenção. Diz Nadine: "Salman Rushdie não tem sido visto por... quanto tempo? Ele se tornou um dos Desaparecidos, como aqueles que sumiram durante um período recente na Argentina e aqueles que desaparecem sob o apartheid na África do Sul. Os governos repressivos têm o poder de destruir vidas nos seus países; quando as religiões adotam esses métodos, elas têm o poder de aterrorizar, por meio de seus fiéis, qualquer parte do mundo. O edito do falecido aiatolá tem jurisdição por toda parte, desdenhoso das leis de qualquer país. Os refugiados políticos dos regimes repressivos podem procurar asilo político noutro lugar; Salman Rushdie não tem para onde ir".

A autora Nadine Gordimer nasceu em 20 de novembro de 1923, na África do Sul. Sempre procurou retratar questões sociais e morais de seu país, em especial o apartheid. É uma das mais importantes vozes contra a segregação racial. Publicou mais de 30 obras, entre contos e romances. Ganhou o Prêmio Nobel de Literatura em 1991.

Nenhum comentário: