16 de jun de 2014

BLUSH: MOCINHO OU VILÃO EM APENAS UM PASSO

25311_1234719160375_3599580_n
BLUSH: MOCINHO OU VILÃO EM APENAS UM PASSO

Apesar de parecer simples, é preciso alguns cuidados na hora de aplicar o blush para não acabar com qualquer make

Essencial no nécessaire de qualquer mulher basta aplicá-lo debaixo pra cima na maçã do rosto e pronto, certo? Errado. Para que o blush cumpra seu papel e ainda turbine o make é preciso seguir algumas técnicas e dicas, que a maquiadora profissional Renata Almeida, proprietária do Centro de Beleza e Estética La Isla e da Escola de Maquiagem que leva o seu nome, ensina neste material.
“Cor e tipo de pele, além do efeito que se quer obter com a make devem ser avaliados para escolher o melhor produto e a forma correta de usá-lo,”, afirma Renata, lembrando que o objetivo principal é dar um aspecto natural e saudável ao rosto, escondendo a feição cansada e pálida, que apetece as mulheres no dia a dia.
Seguindo estes princípios, confira as dicas para aplicar o blush sem erro:
Cor da pele:
As mais clarinhas ou as orientais, que possuem uma pele mais amarelada, devem escolher entre os tons rosados e pêssego, ou até um bronzant; as morenas ficam ótimas com os tons rosa queimado e terracota; as negras devem optar pelos tons alaranjados e vinho. “Não dá para usar um blush vinho em uma pele muito clara, fica forte, marcado e foge do propósito do blush”, relata a maquiadora. Além disso, os blushs opacos são ideais para o dia, enquanto os cintilantes devem ser usados à noite, já que traz mais glamour para a produção.
Formato do rosto:
Ao contrário do que muita gente propõe o blush não deve ser usado para disfarçar o formato de um rosto. “Isto é feito com luz e sombra, usando base em tom marrom ou sombra, mas não é uma técnica tão simples porque cada rosto tem um local certo para correção”, afirma Renata.
Entretanto, uma boa maneira de não errar é usar a técnica de aplicar o blush em um ângulo de 45 graus, um pouco abaixo da maça do rosto em direção até quase a pontinha da orelha.
Tipos de blush versus tipos de pele
Quem não tem a sorte de ter uma pele considerada normal e sofre ou com o excesso de oleosidade ou com o ressecamento, também precisa prestar atenção no tipo de blush que escolhe.
“Os blushes em formato stick são ideias para peles mistas ou oleosas, pois possuem uma textura mais seca, já os em creme são perfeitos para as peles secas. Os líquidos e compactos podem ser usados em todos os tipos de pele, assim como o mineral que ainda tem a vantagem de ser hipoalergênico, porém é preciso um pouco de cuidado, já que ele é em pó e puxa muito no pincel, o que, para quem não tem prática, pode deixar a cor muito carregada no rosto”, orienta a maquiadora Renata Almeida.

http://imagens.pressmanager.com.br/images/assessorias/108/templates/logo_release_assinatura_renata_almeida.jpgSobre Renata Almeida - Maquiadora Profissional de vídeo, HDTV, cinemas, salões de beleza, desfiles, shows, teatros, eventos e editoriais de revista, books e ensaios fotográficos, com cursos de maquiagem profissional (Instituto Krizek, Payot e Catherine Hill), Maquiagem Artística e Consultoria de Imagem. É professora técnica de cursos de maquiagem por todo o Brasil, além de palestrante e conferencista em eventos do ramo. Sócia do salão de beleza premium La Isla, na Vila Olímpia, SP. Foi a responsável pela maquiagem da bateria e mais duas alas da escola de samba Rosas de Ouro, vice-campeã em 2014, comandando uma equipe de 50 profissionais durante o trabalho.

Nenhum comentário: