12 de nov de 2013

Comece o ano novo com relacionamentos saudáveis



Um novo ano é sempre uma oportunidade de recomeçar. Esse período é igual para quase todo mundo, pois é nessa época que paramos para avaliar o que foi bom ou não, e colocamos no papel o que precisa ser mudado. É aí que começa o desejo de que o próximo ano seja ainda melhor. As metas mais comuns são fazer uma viagem especial, começar um novo curso, mudar de emprego, comprar uma casa ou um carro, entre outras pretensões. No entanto, os objetivos para o novo ciclo não ficam só no campo material. Os nossos relacionamentos familiares e interpessoais também entram nessa reflexão.
O bom relacionamento familiar é um dos fatores que mais contribuem para a realização e satisfação na vida pessoal. O valor que a família tem para cada um é quase impossível quantificar, mas com certeza, mesmo para os mais “desligados da família”, faz diferença se ter um bom convívio. Para aqueles com contato próximo e intenso, é a diferença muitas vezes entre celebrar a alegria da união e do amor ou suportar um compromisso familiar obrigatório.
“Vamos lembrar que quanto mais investimos no nosso relacionamento familiar, mais estamos apostando no poder da compreensão, do carinho, da aceitação e, acima de tudo, do perdão. O ano novo é uma data simbólica e recomendo que nesse momento de transição a pessoa leve em consideração zerar as pendências emocionais que têm gerado grandes dificuldades no convívio familiar. Afinal, quem ama, perdoa. E quem pratica o perdão, com certeza terá um ano novo muito mais agradável e proveitoso”, explica Dr. Jô Furlan, treinador comportamental e coordenador do P.E.N.C.A.T. (Programa Especial de Neurociências do Comportamento aplicado a Treinamentos Educação) da Universidade da Inteligência.
As expectativas são uma das grandes origens da tristeza e do mal-estar da existência de um ser humano. No seio da família, as cobranças são muitas e frustrações as acompanham. Uma das soluções para melhorar o convívio familiar é o diálogo. “Converse com amor, com carinho e respeito, procurando sempre entender e respeitar o outro lado da história. Talvez, a outra pessoa não queira estar em paz e viver bem, mas faça a sua parte, já que você pode escolher fazer parte do problema ou da solução. Infelizmente, na família encontramos muitas pessoas que escolhem fazer parte do problema”, lembra Dr. Jô Furlan.
Veja mais algumas dicas de como ter um bom relacionamento familiar em 2014:
Seja sem vergonha – Perca a vergonha de dizer “eu te amo” para quem é importante para você. Lembre-se que, de regra, a família quer o melhor para você, mesmo que você não concorde. Então, respeite as opiniões, mas siga seu caminho e continue trabalhando para realizar seus sonhos. Daqui a alguns anos alguém estará certo, seja você ou eles, sendo assim, se esforce e se dedique para que seja você.
Pratique o perdão e o autoperdão – Aprenda a perdoar os outros e principalmente a você mesmo. Com isso você verá como a vida fica mais leve, mais alegre e descontraída. Perdoar é um ato de libertação que pode levar sua vida a um novo patamar de bem-estar e felicidade. Como vivemos normalmente em família, essa atitude só trará benefícios em seu convívio familiar.
Amigos também são família
Já dizia o dito popular: “um irmão pode não ser um amigo, mas um verdadeiro amigo será sempre um irmão.” Os amigos são a base e a grande sustentação na vida de uma pessoa. Muitas vezes, em ambientes familiares difíceis, as amizades têm um papel poderoso na manutenção da saúde mental dos seres humanos. Temos uma grande necessidade de conexão e os amigos são peças-chave nessa experiência.
O círculo de amigos com tempo vai formando uma família e, como toda família, também apresenta algumas dificuldades de relacionamento. E cultivar uma boa a amizade exige dedicação, tempo e amor. Porém, não podemos esquecer de tomar muito cuidado com as expectativas e com a falsa sinceridade.  O Dr. Jô Furlan faz um alerta com relação à sinceridade nas relações: “ouço muito isso no convívio no ambiente de trabalho: sou sincero e digo o que tenho que dizer na cara, doa a quem doer. Porém, devemos tomar muito cuidado com isso e escolher o momento e as palavras certas. Talvez o momento não seja adequado, a pessoa já esteja se sentindo muito pressionada. Dizer o que se pensa, independente da situação, não é sinceridade, mas, sim, falta de educação.”
Dicas para favorecer o relacionamento com os amigos:
Aprenda a aceitar as pessoas como elas são: respeite suas crenças e valores que, mesmo diferentes dos seus, com certeza poderão te agregar. “Amigo é aquele que gosta de você apesar de conhecer você.” Isso nos mostra como o perdão está na base desse relacionamento tão importante.
Seja o senhor do seu tempo: Dessa forma você poderá escolher e separar um tempinho pra curtir com os amigos e cultivá-los. Isso com certeza faz a vida ficar intensa e agradável.
Aprenda a eliminar as expectativas também nas relações com os amigos: Seja meigo, irmão, solidário e companheiro. Saiba dar o ombro, ou mesmo “colo” quando necessário, mas também tenha a coragem de dar um empurrão quando perceber que seu amigo está patinando. Seja o amigo que você gostaria de ter.
Lembre-se, você não precisa esperar o ano novo pra fazer essas coisas, afinal, todo novo dia é um ano novo que começa!

Sobre Dr. Jô Furlan
Dr. Jô Furlan é médico, professor e pesquisador na área de Neurociência do Comportamento, autor da Teoria da Liderança Comportamental, primeiro Treinador Comportamental do Brasil, conferencista internacional, especialista em Desenvolvimento Comportamental Humano, foi professor convidado do Curso de Especialização em Medicina Comportamental da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) por oito anos e um dos precursores do conceito na América do Sul. Autor de diversos livros, áudio-livros e DVDs, criou as Pílulas de Motivação, que já alcançaram a marca de 70 mil unidades distribuídas. Para conhecer mais, acesse: www.drjofurlan.com.br.

Nenhum comentário: