11 de dez de 2012

Profissionais voluntários desmistificam o zumbido




Profissionais voluntários desmistificam o zumbido

Palestras gratuitas esclarecem tudo sobre o zumbido e mostram que existe tratamento para o problema.

No último dia 05/12 foi comemorado o Dia do Voluntário. O trabalho voluntário é uma atividade não remunerada com objetivos cívicos, culturais, educacionais, científicos, recreativos ou de assistência social. Ser voluntário é dedicar seu tempo a alguma causa, compartilhar seu conhecimento sem esperar algo em troca, é se doar como pessoa e como profissional. E é isso que o ortodontista e ortopedista facial Gerson Köhler faz uma vez ao mês ao participar do Grupo de Informação a Pessoas com Zumbido de Curitiba (GIPZ Curitiba).
O GIPZ Curitiba é um grupo criado para apresentar informações atualizadas e oferecer apoio aos portadores de zumbido que apresentam repercussões importantes em sua qualidade de vida. O grupo é formado por diversos especialistas das áreas de otorrinolaringologia, odontologia, fonoaudiologia, fisioterapia e psicologia. As reuniões são gratuitas e acontecem sempre na primeira sexta-feira do mês, de março a dezembro, no Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná. Caso a data coincida com algum feriado, o encontro é transferido para a próxima sexta.
Gerson conta que ser voluntário de um trabalho como este é muito gratificante. Além de dividir o seu conhecimento, o ortodontista aprende com os outros profissionais e com os pacientes que assistem as palestras. “O encontro é dividido em duas partes. Na primeira, algum dos especialistas do GIPZ ministra uma palestra, explicando o que é zumbido e relacionando o problema a sua área de atuação. Na segunda etapa, os presentes fazem perguntas e contam as suas experiências. Esta troca de informações é essencial para o paciente entender o zumbido e começar a ter novas perspectivas de qualidade de sua vida”, destaca.
O diferencial do GIPZ é o foco em desmistificar o zumbido. Inúmeros pacientes que já participaram das reuniões afirmam que antes de assistir as palestras, acreditavam que não havia tratamento ou cura para o problema. “Muitos profissionais que não são especializados podem - talvez - induzir pacientes a pensar que eles terão que conviver com isso pelo resto da vida. Esta afirmação não é verdadeira. Atualmente o diagnóstico das causas do zumbido está muito mais preciso e os tratamentos cada vez mais eficazes”, ressalta Gerson, membro da equipe inerdisciplinar da Köhler Ortofacial.
Musculatura facial pode influenciar zumbido
O ortodontista, membro especialista da Associação Brasileira de Ortodontia e Ortopedia Facial (ABOR), filiada à World Federation of Orthodontists (WFO), explica que o zumbido é um sintoma que pode ser causado por mais de 200 fatores diferentes. “A manifestação do zumbido pode ser resultado de um ou mais distúrbios ou doenças em um mesmo indivíduo. O primeiro passo é - sempre - procurar um otorrinolaringologista, que irá solicitar uma série de exames e dar início a investigação. No momento certo, e se for necessário, o médico indicará a consulta com outros especialistas”, observa.





A Ortodontia e a Ortopedia Facial são importantes quando é percebido que alterações na musculatura facial ou problemas dentários podem estar envolvidos no desencadeamento do zumbido ou na intensidade do ruído. “Bruxismo e apertamentos também podem ser responsáveis pelo problema. As questões dentofaciais e odontológicas podem agravar o quadro quando o sintoma já está presente por causa de outros fatores. O excesso de força dos músculos faciais é destrutivo para a estrutura do rosto e o zumbido pode ser uma de suas manifestações”, esclarece.
A compressão de áreas meniscais de ATMs (articulações temporomandibulares), inervadas e vascularizadas próximas aos ouvidos podem, devido aos apertamentos de dentes por exemplo, provocar o envio de estímulos ao cérebro, que são interpretados como um sinal sonoro, ou seja, o zumbido. “O diagnóstico exige a realização de exercícios específicos que movimentam os músculos do rosto, da cabeça e do pescoço. São onze manobras diferentes, executadas durante cinco segundos cada, que permitem saber se há relação com o zumbido. Se a resposta for positiva, o paciente é orientado a fazer o tratamento - sempre interdisciplinar - para eliminar as causas. O nosso maior objetivo é promover qualidade de vida”, acrescenta.

Gerson I. Köhler, ortopedista facial e ortodontista, membro especialista da ABOR - Associação Brasileira de Ortodontia e Ortopedia Facial, filiada à World Federation of Orthodontists (WFO), USA

Doutor Gerson Köhler (CRO 3921 – PR)
Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial
Site: http://www.kohlerortofacial.com.br
Blog: http://gersonkohler.wordpress.com
E-mail: kohler1@uol.com.br
Fone: 41 3224.4883/3013-0183
Endereço: Rua Comendador Araújo, 143, conj. 42, Centro, Curitiba/PR.

Nenhum comentário: