4 de out de 2012

São Paulo sedia evento de moda, história, arte e sustentabilidade - Café: O Ouro Verde


“CAFÉ: O OURO VERDE” - EVENTO DE MODA, HISTÓRIA E ARTE 
LANÇAMENTO DA COLEÇÃO DE JOIAS:  “A SEDUÇÃO ESTÁ NO AR”  DE CLÁUDIA SCHNEIDER

São Paulo sedia evento sobre a história do café do século XX,
apresentando sua riqueza, arte, moda e cultura


No dia 25 de outubro, quinta-feira, a designer e produtora de joias e acessórios Cláudia Schneider,  traz a São Paulo “Café: o Ouro Verde” , evento que apresenta trabalhos tendo a história do café como inspiração. São vários artistas que estarão expondo looks e acessórios conceituais, performance e shows de música e dança além do lançamento de sua coleção de joias  A Sedução está no ar”.

Foram mais de dois anos de estudos e pesquisas sobre o café e sua história dentro de São Paulo. “Quis juntar os encantos das fazendas de café com a herança cultural e a efervescência da metrópole e mostrá-los através de um evento que reúne história, cultura, arte, para contar os encantos, riquezas e prosperidades trazidos pela cultura do café no Brasil. Dois mundos distintos, unidos na missão de adornar corpos e despertar novas emoções”, diz Cláudia Schneider.

A coleção de joias “A sedução está no ar”, une talento, criatividade, arrojo e originalidade, marcas da designer que se inspirou na beleza da época do café na criação de peças para seduzir.

São pingentes, pulseiras, anéis e brincos em prata que retratam a efervescência da metrópole, trazida pelo café, que serão apresentadas em um desfile. “Trata-se de um retorno triunfal ao glamour de São Paulo. Saído do Pará há décadas, onde foi plantado inicialmente no município de Vigia de Nazaré, o café faz esse caminho novamente, agora com a função de seduzir não apenas pelo sabor marcante, pelo perfume que deixa no ar, mas também pelo fascínio que toda “joia” carrega consigo”, completa Cláudia.

SUSTENTABILIDADE E MODA

O evento traz também exposições com materiais reciclados ou ainda com aqueles cujo destino seria o lixo como é o caso das lentes de óculos usadas que por questões técnicas não podem ser recicladas.

“A preocupação com o meio ambiente é algo que faz parte da minha vida. Depois que descobri que as lentes de óculos não são reaproveitadas quis dar alguma utilidade para elas. Criei colares e anéis em objetos de desejo que ornamentam, emocionam e transformam pequenos gestos em momentos inesquecíveis”, diz Cláudia.

A Coleção de Acessórios “Lentes: Pequenos Olhares”: representam a influência que o cinema exerceu no período pós-crise de 1929 - O aspecto de cores, cortes e decotes, os modelos de bolsas, chapéus, óculos e diferentes calçados, passou a ser ditado pelos personagens protagonizados por atrizes e atores dos grandes estúdios de Hollywood. A Coleção traz peças exclusivas e interativas. Parte da venda será doada para uma entidade beneficente de assistência social.

A moda é um fenômeno sociocultural que expressa os valores da sociedade – usos, hábitos e costumes.  Para a elite cafeeira, tudo tinha de ser grandioso, suntuoso, bonito, elegante e moderno. Com a entrada em cena dos barões do café, São Paulo ganhou inaudito impulso modernizador.

Os acessórios e looks conceituais contarão um pouco dessa época da moda, relacionada ao café durante o período da quebra na bolsa de Nova York em outubro de 1929 que foi um golpe para a estabilidade da economia cafeeira.  A moda, claro, também sofreu suas mudanças, e teve que se adaptar a um momento em que não cabiam grandes ousadias. O uso de materiais mais baratos e duráveis para as roupas foi uma alternativa.

As peças da exposição foram confeccionadas com diversos materiais não convencionais como: resíduos têxteis, botões, embalagens de café, caixas de leite, peças de diversos objetos, filtros usados de café, e muitos outros, todos de reaproveitamento. As peças são de Cláudia Schneider e Carminie Glória (modelista), Talita Lima (estilista) e Cíntia Marques (estilista)

A Ilustradora paraense radicada em São Paulo Dani Sá apresentará ilustrações. A artista trabalha como designer têxtil desenvolvendo estampas para várias marcas. Considera-se uma aprendiz e desenvolve uma identidade própria em seus trabalhos autorais . 

MÚSICA E DANÇA
A música e a dança fazem parte de qualquer época da história. A artista plástica Alicia Israeli estará expondo instrumentos musicais feitos em cerâmica e o Grupo de Choro Trio Guarani fará um show. Durante o evento será possível apreciar apresentação de dança e reflexologia nos pés e mãos com produtos a base de café.
O evento é idealizado por Cláudia Schneider e conta com apoio das empresas: Cachaçaria Água Doce, Kapeh cosméticos, Piter Pan, Mary Kay, Banana Groove, Worldone.

Evento de Moda e Arte “Café: O Ouro Verde” 
Lançamento da Coleção de Joias “A sedução está no ar”
Data: 25/10/2012 – Quinta-feira
Horário: 19h às 22h30
Local: Cachaçaria Água Doce - Sabores do Brasil - Av. Macuco 655 - Moema – SP
Entrada franca


Sobre Cláudia Schneider
Gaúcha de Porto Alegre. Morou em Belém 14 anos, onde se dedicou ao estudo e pesquisa da cultura do Pará. Aprendeu a arte de modelar a argila com os grandes mestres paraenses. Seus primeiros trabalhos de máscaras, vasos e muiraquitãs, em miniaturas, misturados a vários materiais não convencionais em joalheria, deram origem a uma Coleção de Bijuterias com grafismos indígenas da região. Essa coleção rendeu-lhe o reconhecimento imediato do público ao seu trabalho. A partir daí, busca novas formas de expressão e passa a fabricar joias e acessórios com elementos de diversas culturas nos mais variados materiais.

Apaixonada pelos recursos naturais e pelas culturas, Cláudia, ao longo de anos de intenso trabalho, criou coleções exclusivas, promoveu lançamentos e desfiles, tendo o reconhecimento de seu trabalho em várias regiões.

Prêmios
- Do Programa Paraense de Design, durante a VI FIPA (2003) o Prêmio de Design na Categoria Jóia com o Pingente de vidro e prata da Coleção Sol Sal: Salinas.
- Participou do XI Prêmio IBGM de Design de Jóias – Categoria: Jóias com metais preciosos e gemas brasileiras - Jóias de Autor
- Do Programa Paraense de Design, durante a V FIPA (2001), o Prêmio de Design de Jóias com a jóia intitulada “Tartaruga-da-amazonia” da Coleção Hiléia Amazônica, confeccionada em ouro 18ct, 09 tipos de madeiras e uma gema granada.
- Selecionada na IX Mostra de Arte – CCBEU – “Primeiros Passos” – Belém-PA. Com as obras: “Máscara V” e “Máscara IV de técnica mista”.
- Selecionada na X Mostra de Arte – CCBEU _ "Primeiros Passos" – Belém –Pará. Com a obra “Caminho das Artes”.

Nenhum comentário: