3 de out de 2012

Em tempos de eleição, Caravana da Acessibilidade discute os direitos da pessoa com deficiência em Itapeva

O sexto encontro da 3ª Caravana de Inclusão, Acessibilidade e Cidadania aconteceu na cidade de Itapeva-SP, no dia 29 de setembro, no auditório da Câmara Municipal de Vereadores. O evento organizado pela UVESP e realizado em parceria com a Prefeitura Municipal de Itapeva reuniu autoridades locais, representantes de entidades, conselhos municipais e contou com a participação de mais 200 pessoas, que assistiram, além das palestras relacionadas aos temas centrais da causa, uma apresentação musical de um deficiente visual que emocionou os participantes com suas notas de sua viola.

O evento contou com a presença do presidente da UVESP- União dos Vereadores do Estado de São Paulo, Sebastião Misiara, além dos representantes da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência, do prefeito de Itapeva e do Sr. Marco André d'Oliveira, Secretário Municipal de Saúde de Itapeva e diretor da APAE, entre outras autoridades locais.
"Criamos acessibilidade, mas não na íntegra", afirma Marcos André. Segundo o Secretário é essencial entender e aceitar esse processo de inclusão como um processo cultural, e é preciso compreender a complexidade desse assunto sem manter as pessoas com alguma deficiência à margem da sociedade. "Isso viola o direito de ir e vir quando se fala em acessibilidade, ou seja, o indivíduo tem o direito de se locomover sozinho, sem depender de outrem", completa.
O assessor político da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Carlos Cruz, comenta a importância desse evento, que visa capilarizar a razão da existência da Caravana da Acessibilidade na região. Além de sensibilizar os municípios quanto à ideia de cidades acessíveis para que o estado todo se torne acessível também.
Aproveitando o momento que antecede as eleições, Cruz também reforça a importância das leis que regulem os direitos das pessoas com deficiência. "Se a pessoa não tiver condições físicas de ir até a urna ela está dispensada do voto, mas quem disse que essa pessoa pediu para não votar?", disse. É preciso fazer com que a urna chegue até pessoa com deficiência, para que ela exerça sua cidadania plena.
Após o Desfile de Moda Inclusiva, que ressalta a importância da praticidade e conforto às pessoas com deficiência, principalmente do cadeirante, o evento foi encerrado com as metas de que, até 2016, São Paulo se torne a Referência Mundial em respeito aos direitos da pessoa com deficiência ou mobilidade reduzida. 

Nenhum comentário: