5 de out de 2012

Alice Caymmi faz show nno Teatro Eva Hertz - próxima segunda


ALICE CAYMMI ESTREIA DISCO AUTORAL

Filha do músico e cantor Danilo Caymmi lança seu primeiro trabalho pela Kuarup


A cantora e compositora carioca Alice Caymmi faz parte de uma das mais importantes famílias musicais brasileiras. Filha do compositor e instrumentista Danilo Caymmi, a artista faz sua estreia em disco com repertório autoral. A sobrinha de Nana e Dori, neta de Dorival Caymmi é a nova contratada da gravadora Kuarup e lança o CD Alice Caymmi.

O trabalho homônimo abre com Sangue, Água e Sal, canção de amor que dialoga com as suas origens religiosas: o candomblé e toda a espécie de misticismo brasileiro. O ritmo é africano e o clima é solene, uma tentativa da cantora de unir o ritual com o amor romântico.

Água Marinha, a segunda música do disco, é o retrato de uma perseguição, uma sugestão imagética e mais uma vez com a temática do amor romântico. O ritmo da cavalgada sugere a imagem dos cavalos e a perseguição da tal pedra Água Marinha que na verdade é a busca por um amor. A melodia brinca com a ideia da água do mar.

Mater Contínua foi criada com base na melodia da tão conhecida ligação à cobrar. A composição fala sobre a dificuldade de comunicação entre mãe e filha durante o processo de corte do cordão umbilical. É a dor da separação.

Revés, quarta música, mostra a tradição musical da família na composição que tem participação especial do músico Rafael Rocha. No final da melodia a cantora Bela Meirelles interpreta um poema do escritor alemão Herman Hesse, peça fundamental da canção. É novamente o amor, mas um amor inocente, quase adolescente.

Tudo Que For Leve, quinta melodia do trabalho, traz o desabafo e a postura militante de Alice Caymmi quanto à hierarquia dos gêneros musicais. Alice Caymmi diz: “Acredito que não há gênero inferior e por isso compus um axé”. “Um Caymmi é supostamente tradicional no sentido careta, mas eu prefiro ser tradicional através de minha própria leitura”. “A ironia da letra é um pouco a ironia de às vezes a gente simplesmente tem que ser feliz senão o barco desanda”.

Sargaço Mar, clássico de Dorival Caymmi. A composição levou Alice Caymmi a um lugar experimental que nenhuma outra canção alcançou. A releitura da letra trágica que descreve um suicídio, um êxtase, um sair de si para estar com o Deus, levou a jovem cantora ao barulho, ao ruído, às falhas orgânicas e inorgânicas do som.

Vento Forte, sétima composição, é a descrição de sua sensação de se jogar em um trabalho musical sabendo que faz parte da tradição musical brasileira. “Por isso me identifico como “classificável mito” e de alguma forma me apresento ao público”, declara a cantora.

Unravel, canção da cantora Bjork, foi regravada por Alice Caymmi em homenagem à compositora islandesa. A releitura delicada recebeu uma interpretação especial da jovem cantora brasileira.

Arco da Aliança, nona canção do CD, é sua estreia em uma composição autoral em parceriaA melodia foi feita com ajuda do músico e compositor Paulo César Pinheiro por quem Alice tem muita afeição artística e emocional. “Essa música é, definitivamente, o marco da nossa eterna aliança”, declara Alice Caymmi.

Rompante, melodia que fecha o disco, narra a tristeza com o fim de um amor. É a sensação de uma morte prematura. A música é a descrição sonora da dor física que a morte de um amor nos traz.


Espetáculo gratuito no Teatro Eva Herz, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional
segunda-feira, 8 de outubro, às 19h

com
Flávio Mendes (direção musical, violão e Ipad)
Rafael Rocha (bateria e Handsonic)
Gabriel Mayal (guitarra)
Leandro Vasques (baixo)

Participação especial de FILIPE CATTO e LENINE GUARANI

Teatro Eva Herz, na Livraria Cultura Conjunto Nacional
Data e Hora: Segunda-feira, 8 de outubro, às 19h
Local: Conjunto Nacional - Av. Paulista, 2073 - Bela Vista
Lotação: 100 lugares
ENTRADA GRATUITA


Nenhum comentário: