24 de out de 2012

Albino narra experiências de vida num país solar





Filhos da Lua. Assim são conhecidos os albinos. Sua alvura causa fascínio, temor, repulsa. Chamam a atenção em um país solar como o Brasil. Atraem olhares, provocam comentários. Quem nasce com albinismo não tem melanina, a substância responsável por conferir pigmentação à pele, olhos, cabelos e pelos. Por não terem cor, os albinos são obrigados a fugir dos raios solares, mas engana-se quem pensa que o maior adversário deles é o sol. Em Escolhi ser albino, lançamento da EdUFSCar, Roberto Rillo Bíscaro revela que os verdadeiros rivais dos que possuem essas características são o preconceito e a exclusão social.
Se, por um lado, os albinos chamam atenção por onde passam, por outro, paira um silêncio perturbador sobre essa minoria. Essa invisibilidade social reflete-se na ausência de políticas públicas de saúde específicas para eles. Nas aulas de biologia, não passam de letras ‘a’ minúsculas dos genes recessivos. Nas universidades, quase nenhum estudo na área de Humanidades dedica-se a esse grupo social. Esse esquecimento relega o grupo a altas taxas de óbito por câncer de pele devido à falta de cuidados preventivos. Além disso, enfrentam a exclusão no mercado formal de trabalho, em função da aparência física diferente. 
Outro fator que pesa para a dificuldade de inclusão desses sujeitos é o econômico: como os cuidados básicos incluem o uso constante de protetor solar ou de lentes especiais, para aqueles que desenvolvem fotofobia, são muitos os que, no Brasil, não têm condições mínimas de arcarem com esses cuidados, em função da renda familiar. Além disso, praticamente não há políticas públicas que subsidiem esses custos. 
Na contramão dessas adversidades, Roberto Rillo Bíscaro ensina que ser minoria pode ser desafiador. O livro é resultado de suas próprias escolhas que, juntamente com a família, decidiu enfrentar a situação e se afirmar como cidadão. Hoje, é doutor em dramaturgia pela USP, professor e autor do blogO Albino Incoerente, para lutar pelos direitos das pessoas com albinismo. Sua atuação ganhou repercussão na mídia e ajudou a criar projetos de lei em prol dos albinos em diversos estados brasileiros. 
Sobre o autor – Roberto Rillo Bíscaro nasceu em São Paulo, em 1967. Filho de empregada doméstica e de alfaiate/feirante, viveu na capital até 1976, quando se mudou para Penápolis, no interior do estado. Devido ao albinismo, enfrentou preconceito, além de dificuldades econômicas por sua classe social. Aos 19 anos, começou a trabalhar na Biblioteca Pública Municipal e pôde pagar um curso de inglês com um norte-americano residente na cidade. Graduou-se em Letras pela Fundação Educacional de Penápolis e lecionou em diversas escolas e faculdades na cidade e região. Em 2006, doutorou-se em dramaturgia norte-americana pela USP. 
TítuloEscolhi ser albinoAutor: Roberto Rillo Bíscaro
Número de páginas: 250
Formato: 14 x 21 cm
Preço: R$ 29,00
ISBN: 978-85-7600-284-0

Nenhum comentário: