3 de set de 2012

III Mostra de Teatro Despudorado traz o desejo latente em seis diferentes versões dramatúrgicas


Presente em diversas civilizações, o teatro tem se caracterizado como lugar de exercício estético e crítico de questões sociais. Em jogo constante com padrões e normatividades, podemos identificar criações teatrais que se propõem a explorar limites e censuras construídas nos processos da vida em sociedade. Pulsões cerceadas e o reflexo do outro e do coletivo no indivíduo são abordagens recorrentes em textos e encenações.
Expressar um olhar interessado a essas produções é o objetivo da III Mostra de Teatro Despudorado, a ser realizada de 11 a 15 de setembro pelo Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza, com a apresentação de seis espetáculos de cinco grupos. Nessa edição, o desejo em suas diferentes versões é tema latente nos seis espetáculos da Mostra. O despudorado dramaturgo e jornalista Nelson Rodrigues é ainda celebrado em seu centenário de vida, por sua importância singular para o moderno teatro brasileiro.
Sentir-se despudorado é um ato de permissão. Possibilitar-se a uma experiência teatral é também despudor. As entradas são gratuitas e os ingressos distribuídos uma hora antes do início de cada sessão.







Espetáculo de abertura
O espetáculo que abre a mostra é “Perdoa-me por me traíres”, de Nelson Rodrigues, e será apresentado pela Companhia de Teatro Engenharia Cênica, de Barbalha (CE), que acaba de se apresentar, com casa cheia, no teatro Glauce Rocha, no Rio de Janeiro, nos últimos dias 15 e 16.
A montagem do espetáculo entrou no circuito nacional das comemorações aos 100 anos do Anjo Pornográfico, através do Prêmio Funarte Nelson Brasil Rodrigues, 2012. Em Fortaleza, o espetáculo será encenado no palco principal do Theatro José de Alencar, no dia 11 (terça-feira), às 19 horas.
O espetáculo tem como foco principal os sentimentos humanos que envolvem relações passionais de amor, traição, ódio e vingança. Mesmo escrito na década de 50 do século passado, o texto ainda é polêmico, pois trata da hipocrisia social, da falsa moral, corrupção, relações incestuosas e assassinato por amor em desmedida.
Outro ponto de discussão são as cenas que trazem textos como: “o marido que bate tem suas razões”, “amar é ser fiel a quem nos trai”, “a adúltera é mais pura porque está livre do desejo que apodrece dentro dela”, “com que roupa a polícia vai prender os deputados?”.
O ciúme, a dissimulação, a prostituição juvenil, a exploração sexual por políticos de grande respeitabilidade, clínicas clandestinas de aborto são temas suscitados em “Perdoa-me por me traíres” – que com quase meio século depois de sua estreia, ainda causa espanto. A encenação propõe uma mistura de estilos dramáticos, há a presença do trágico, trágico-cômico, melodramático, expressionismo e muita brasilidade.





Sinopse dos outros cinco espetáculos
Dia 12, qua, às 15h e 18h
Flor de Obsessão
Grupo Pesquisa / Teatro Radical (Fortaleza-CE)
Local: Teatro – 2º andar CCBNB-Fortaleza
Nesse espetáculo, o dramaturgo, ator e diretor Ricardo Guilherme explicita temas centrais da obra de Nelson Rodrigues, enfocando sua obsessiva predileção por histórias em que amor e morte se inter-relacionam e se completam a partir de personagens que, vivendo situações-limite, precisam matar ou matar-se para provar que amam. Solo de Ricardo Guilherme, a partir de textos de Nelson Rodrigues.Classificação: 16 anos. 60 min.




Dia 13, qui, às 18h
Entre Quatro Paredes
Grupo Graxa (João Pessoa - PB)
Local: Auditório – 3º andar CCBNB-Fortaleza
Inspirado na obra de Jean Paul Sartre. A ideia sartriana de inferno é trabalhada de maneira a criar um jogo de gênero, sexualidade, dominação e muitas vezes sadismo entre cinco seres desconhecidos e confinados num mesmo lugar, vigiados por olhares também desconhecidos.
Direção: Antonio Deol. Elenco: Ana Carolina Guedes, Cely Farias, Joevan Oliveira, Kassandra Brandão e Léo Vianna. Operador de luz: Tiago Santini. Classificação: 16 anos. 60 min.

Dia 14, sex, às 18h
Déjà Vu
Grupo Graxa (João Pessoa - PB)
Local: Teatro – 2º andar CCBNB-Fortaleza
A encenação acontece em três quadros: no primeiro (inspirado em Nelson Rodrigues), uma família desestruturada esforçando-se para manter as aparências; no segundo (inspirado em Shakespeare), a luta pelo poder nas esferas do governo, da família e do amor; e no último (inspirado em Sófocles), a influência do divino, dos ditames do sobrenatural na conduta e na orientação daquilo a que se costuma chamar de destino.
Direção e adaptação: Antônio Deol. Elenco: Léo Viana; Adriele Daniel e Ingrid Castro; Joevan Oliveira; Cely Farias e Kassandra Brandão; Ana Carolina Guedes. Sonoplasta: Ingrid Castro. Operador de Luz: Thiago Santino. Classificação: 14 anos. 60 min.

Dia 12, qua, às 23h
Local: Teatro Municipal Rachel de Queiroz, em Guaramiranga (CE)
Dia 15, sab, às 17h
Ô Putaria
Teatro em Película (Fortaleza – CE)
Local: Anexo do Theatro José de Alencar – Sala de Dança
Dia de chuva. Um homem usando Kelvin Klein molhados se interessa por um caçador de patos dentro de um ônibus público, ou será uma enfermeira peituda com broche do curso técnico? No dia seguinte vai ao departamento onde ele trabalha. Seu objetivo é fazer sexo com ele. A partir desse fato, dois atores, Médici e Melo, vão reinventar a estória para o público, porém surge um problema: percebem que o único objetivo da plateia é o mero entretenimento.
Texto e Direção: Rafael Barbosa. Elenco: Edglê Lima e Rafael Barbosa. Classificação indicativa: 16 anos. 40 min.

Dias 15, sab, às 18h30 e 20h30
Cabaret dos Insensatos
Cia. de Teatro Stultífera Navis (Aracaju - SE)
Local: Casa da Esquina (Rua João Lobo Filho, 62 – Sede do Grupo Bagaceira e Teatro Máquina), em Fortaleza
O espetáculo é realizado em espaços não-convencionais e se ambienta em clima de cortiço, informando também características das antigas casas de diversão. O “Cabaret dos Insensatos” inicia-se do lado de fora da casa, com apresentação de Monsieur, dono do Cabaret, chamando o público para participar do evento. No interior da casa, são apresentadas cenas que acontecem de forma itinerante e simultânea.
Texto e direção: Lindemberg Monteiro. Elenco: Anne Samara Torres, Kassem, Raiany Rodriguez, Stefaní Cornélio, Tatá Lima, Tom Myers e Wilyane Corumbá. Duração: 60 minutos. Classificação indicativa: 16 anos.

Nenhum comentário: