16 de ago de 2012

“O Poeta e o Passarinho”, de Ricardo Viveiros, escolhido para fazer parte do programa educacional Itaú Criança


A Fundação Itaú Social, depois de rigorosa análise feita por especialistas em toda a produção editorial infanto-juvenil do ano, selecionou alguns títulos para compra e distribuição em seu programa educacional voltado à infância. "O poeta e o passarinho", do jornalista e escritor Ricardo Viveiros, foi um deles, com cinco mil exemplares que serão distribuídos pelo Programa Itaú Criança a bibliotecas em todo o Brasil. O livro, lançado há menos de um ano, já alcançou a 4ª edição.


Ricardo Viveiros, que fez palestra para professores e autografou o livro na Bienal Internacional do Livro neste domingo (12/8), depois de lançar com sucesso de público e de crítica a obra em São Paulo e outras capitais por todo o País, recebe agora esta notícia com grande alegria. “O Poeta e o Passarinho, em sua trajetória vitoriosa, transformou uma tragédia pessoal em história de amor e esperança”, afirma o autor.


O POETA E O PASSARINHO

 
É mesmo muito difícil falar de perda para crianças e adolescentes. Afinal, pela pouca idade, imagina-se que eles ainda não conviveram com esse tipo de adversidade. Entretanto, ao contrário da suposta lógica, tem crescido o índice de crianças e adolescentes obrigados a conviver com diferentes perdas. Desde simples mudanças por novas oportunidades de trabalho na família, troca de escola e separação dos pais até a morte de avós, pais, irmãos e animais de estimação, vítimas de doenças ou da violência urbana. Mas como tratar de um tema tão duro, complexo e inibidor com crianças e adolescentes?

 
DESAFIO EDITORIAL
 
Foi nesse contexto que a Editora Biruta, focada no segmento infantojuvenil, mais uma vez inovou com absoluta seriedade pedagógica ao publicar O Poeta e o Passarinho, primeiro livro para crianças e adolescentes do jornalista e escritor Ricardo Viveiros, autor de mais de duas dezenas de obras de outros gêneros da literatura, como poesia, história, biografia, comunicação, reportagem e arte. Como lembra Ziraldo, em seu emocionado prefácio para esse lançamento: “Quem tem facilidade de fazer versos pode fazer poemas lindos. A poesia verdadeira e plena, porém, tem que vir do fundo da alma. Quando isto acontece os versos do poeta nos atravessam como flechas. E aí, a poesia se realiza”.


A Editora Biruta buscou o artista plástico Rubens Matuck, que criou uma atmosfera de respeito e beleza para o tema com as ilustrações. Esse elaborado processo de produção da obra contou também com outros dois importantes profissionais: ofotógrafo Leonardo Crescenti e o programador visual César Landucci. Todos os envolvidos são consagrados nomes em suas áreas de atuação. Como Matuck fez as ilustrações a lápis de cor alemão em papel de arroz chinês, para que se mantivesse total fidelidade ao seu cuidadoso processo de criação, foi preciso fotografar e digitalizar todas as imagens do livro. Por fim, veio um projeto de arte que fechou ricamente o aspecto gráfico. Fazendo surgir não apenas capa e diagramação, mas também um coerente e sensível cenário que valorizou ainda mais a força do texto.

Nenhum comentário: