2 de ago de 2012

MinC e FBN lançam campanha de incentivo à leitura na TV, rádio e internet

MinC e FBN lançam campanha de incentivo à leitura na TV, rádio e internet
“Um país rico é um país de leitores”. A frase da ministra da Cultura, Ana de Hollanda, inspirada no slogan do governo federal, “País rico é um país sem miséria”, sintetiza o espírito da campanha ‘Leia Mais, Seja Mais’, realizada pelo Ministério da Cultura (MinC) e a Fundação Biblioteca Nacional (FBN).
A segunda etapa da campanha foi lançada nesta quinta-feira (2/8), na sede da Biblioteca , no centro do Rio de Janeiro, e será veiculada, em todo país, por emissoras de rádio e televisão e pela internet, até o final deste mês.
A ministra destacou que um dos objetivos da campanha é estimular o prazer da leitura. “Temos o direito de sonhar junto com os poetas e os romancistas”, disse ela, lembrando um texto do escritor Antônio Cândido sobre o direito à leitura.
Segundo Ana de Hollanda, os direitos básicos do cidadão não se limitam à alimentação, saúde e moradia. Para ela, o cidadão só será um ser humano completo e autônomo se exercer seu direito à leitura.
Ações do PNLL
A campanha ‘Leia Mais, Seja Mais’ é um dos destaques das 40 ações do Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL) previstas para este ano, com orçamento total de R$ 373 milhões. O presidente da Fundação Biblioteca Nacional, Galeno Amorim, fez um resumo das atividades programadas, ressaltando que em 2004 o PNLL recebia apenas R$ 5 milhões por ano.
Para 2012, o PNLL destinará R$ 254,6 milhões a ações de democratização do acesso à leitura, beneficiando duas mil bibliotecas em todo o país. Esta rubrica inclui também a construção de 400 novas bibliotecas, entre elas as programadas nas obras das Praças dos Esportes e da Cultura (PECs).
O plano prevê também R$ 56,1 milhões para as ações de fomento à leitura e formação de mediadores de leitura. Está prevista a formação de 4 mil agentes de leitura .
O fomento à cadeia criativa e produtiva do livro deve receber R$ 54,9 milhões. Só este ano, o PNLL vai ajudar a promover a realização de 200 feiras e festivais do livro em todo o país, o que representa um crescimento de cerca de 170% em relação ao ano passado, quando foram realizados 75 eventos.Haverá também ações de apoio a livreiros independentes.
Campanha
Na rubrica Valorização Institucional à Leitura, o PNLL destinou R$8 milhões para a campanha ‘Leia Mais, Seja Mais’, criada pela agência de publicidade DM 9. A primeira parte da campanha, lançada em dezembro de 2011, foi veiculada por meio de 74 jornais e 4 revistas.
Agora, a segunda etapa será voltada para dez emissoras públicas e privadas de TV, quatro redes de emissoras de rádio, dez portais e sites da internet.
A campanha se destina, principalmente, a homens e mulheres na faixa de 18 a 49 anos, nas classes C, D e E. Eles representam cerca de 38 % da população brasileira. O objetivo é promover o prazer da leitura, o conhecimento, a inclusão social e a afirmação da cidadania.
A mais recente edição da Pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, do Instituto Pró-Livro, divulgada em março, mostrou que os brasileiros ainda leem pouco, embora os índices de leitura tenham melhorado na última década.
O filme da campanha é estrelado pelos atores David Lucas, Elisa Lucinda, Mayana Neiva, Luís Miranda e Klara Castanho. Todos foram cedidos pela TV Globo e abriram mão do cachê .
A partir do slogan ‘Leia Mais, Seja Mais’, os atores dizem variações em torno do tema, como “sonhe mais”, descubra mais”, “invente mais”, “saiba mais”, “conheça mais”, etc. O spot para as rádios segue a mesma linha.
Na internet, além dos banners postados em portais e sites, a campanha relizará várias inserções nas redes sociais do MinC, da FBN e outras instituições vinculadas ao ministério.
Galeno Amorim aproveitou para fazer um convite aos amigos do MinC e da BN no Facebook. Propôs que, ao longo de agosto, eles substituam suas fotos nos perfis, pelas capas de seus livros preferidos. Segundo Galeno, a rede não deve ser encarada como um desestímulo ao livro: “ A internet e outros canais precisam ser usados a favor da leitura”, comentou.
Outra novidade da campanha são as gravações de espera telefônica. A partir de agora, quem ligar para o MinC vai ouvir, enquanto aguarda atendimento, trechos de poesias e prosa de escritores de língua portuguesa , declamados pelos atores Murilo Grossi e Rosana Viegas.
Contando histórias
A cerimônia de lançamento da campanha foi aberta pelo funcionário da BN Francisco Gregório Filho. Ele encantou os presentes com uma cantiga popular, repetida em coro pela plateia. “Jabuti sabe ler mas não sabe escrever. Trepa no pau mas não sabe descer. Ler, ler, ler e escrever”. Em seguida, leu um trecho de uma poesia do livro Poesia Reunida de Adélia Prado.
Outro ponto alto da cerimônia foi o depoimento em vídeo da atriz e poeta Elisa Lucinda. “O livro era brinquedo e cúmplice da minha imaginação”, disse ela lembrando a infância. Elisa afirmou que, ao chegar a Portugal , descobriu que já conhecia o país através das poesias de Fernando Pessoa. “O livro é a passagem mais barata do mundo”, concluiu.
Confira aqui as peças da campanha.

Nenhum comentário: