7 de ago de 2012

Grupo Grial, fundado por Ariano Suassuna e Maria Paula Costa Rego, chega ao SESC Belenzinho para comemorar seus 15 anos de trajetória



Cena do espetáculo Travessia; público e intérpretes compartilham o mesmo espaço

Um dos mais importantes grupos de dança de Pernambuco, o GRUPO GRIAL, fará duas únicas apresentações de “TRAVESSIA” nos dias 11 e 12 de agosto de 2012, no Sesc Belenzinho. O espetáculo remete às festas populares típicas do interior pernambucano: é apresentado em uma arena aberta, com espectadores e intérpretes dividindo o mesmo espaço. Coreografia e direção são assinados por Maria Paula Costa Rêgo, inspirada no universo dos romances populares de uma das maiores cantadeiras de romances do Brasil, Dona Militana Salustino do Nascimento (1925-2010).  Com 15 anos de existência, o Grupo Grial foi criado pelo escritor Ariano Suassuna e Maria Paula Costa Rêgo, em 1997.

“Travessia” foi agraciado com o Prêmio Funarte Klauss Vianna de Dança 2011 e circulará por quatro capitais brasileiras, em uma turnê comemorativa aos seus 15 anos de criação. O espetáculo já passou por Fortaleza, Recife e Rio de Janeiro dentro do projeto Circulação de ideias de dança, que dançam. O objetivo é unir as apresentações a atividades paralelas de debate. O tema é o olhar do Grial sobre a tradição popular: "Nossos espetáculos são festivos, fortes e contundentes e a suas execuções permitem diálogos possíveis entre a tradição e o eruditoCriamos o contemporâneo com cheiro de terra”, diz a coreógrafa. O Grial consagrou-se no meio artístico por fazer seu trabalho transitar entre a tradição popular e o contemporâneo. Nesse sentido, “Travessia” é considerado um dos mais provocativos da companhia, pois ousa colocar no palco o contemporâneo e a erudição com “alegria”, segundo  palavras da diretora Maria Paula.

Em seu primeiro espetáculo, “A Demanda do Graal Dançando”, o Grial apresentou pela primeira vez uma nova proposta para a dança Armorial -  movimento lançado nos anos de 1970 que tem seu marco inicial alicerçado na obra de Ariano Suassuna e que tinha como meta fundamental elaborar uma arte de natureza erudita, mesclada com ingredientes típicos da cultura popular. Figuras como Antonio Nóbrega, Capiba, Guerra Peixe, entre outros, se uniram ao movimento.

O espetáculo
“Travessia” é embalado, ao vivo, pelo doce e forte canto de Nice Teles (romanceira popular de Condado, município da Zona da Mata Norte de Pernambuco, uma das melhores do Brasil). O espetáculo é a segunda parte daTrilogia Uma História, Duas ou Três e traz na direção de arte Manuel Dantas Suassuna, filho de Ariano Suassuna e artista plástico consagrado. Dantas é responsável pela bela cenografia da coreografia: quatro telões feitos com tecidos de algodão de seis metros de altura que circundam o palco, em formato de arena, pintados com inspiração nas pedras “Itaquatiaras”, que, segundo os arqueólogos, são gravuras rupestres cujos desenhos representam os mais enigmáticos e difíceis de serem  interpretados.
Dantas defende que o movimento Armorial é abrangente e faz parte de seu trabalho, naturalmente: “Lá em casa, acontecia o ensaio do Quinteto Armorial (grupo de música instrumental brasileiro formado em Recife em 1970, cuja a proposta era criar uma música de câmara erudita com raízes populares). Eu era menino, mas vivi aquilo, aquelas discussões entre pensadores. O Armorial é baseado na cultura popular, em quase tudo”, diz o artista.
Sobre o Grupo Grial de Dança - Criado em 1997 por Ariano Suassuna e Maria Paula Costa Rêgo. Suassuna é poeta, escritor, membro da Academia Brasileira de Letras. Mentor do Movimento Armorial buscava retomar a pesquisa sobre a linguagem da dança e encontrou em Maria Paula o fio condutor necessário para transformar a ideia em movimento. Maria Paula é formada em Dança pela Universidade da Sorbonne - Paris, ex-bailarina do Balé Popular de Recife e da Cia de Dança Les Passagers - Paris.

Mais festa - O Grupo Grial também comemora a inclusão do espetáculo A Barca na grade nacional do Palco Giratório (que também se tornou parceiro das apresentações do Klauss Vianna). Assim, a montagem está sendo apresentada nos palcos do SESC em cidades como Cuiabá, Rio de Janeiro, São Paulo, Teresina, Florianópolis, Curitiba, Porto Alegre, só para citar alguns. Ao todo, serão 55 cidades. A Barca é a primeira parte da Trilogia Uma história duas ou três, mais recente pesquisa do Grial, que procura a dramaturgia do corpo por meio de contações de histórias e romances populares. O final dessa história será concebido em 2013, graças a mais uma premiação recebida neste ano: o Prêmio Pró-Cultura, que garante apoio na concepção e circulação.

Ficha Técnica
Elenco: Maria Paula Costa Rego, Emerson Dias, Fábio Soares, Aldene Nascimento, Joab Jó, Iara Agra e Dayse Marques Direção e coreografias: Maria Paula Costa Rego Direção de Arte: Manuel Dantas Suassuna Produção Executiva: Carla Carvalho

Vídeos do Grupo Grial no YouTube: http://bit.ly/NKSP8k
Galeria de fotos do Grupo Grial: http://www.flickr.com/photos/grupogrial

SERVIÇO
Travessia
Quando: Sábado, 11 de julho, às 20h; Domingo, 12 de julho, às 17h
Onde: SESC Belenzinho / Sala de Espetáculo II
Av. Álvaro Ramos, 991 São Paulo  SP
R$ 8,00 [inteira]
R$ 4,00 [usuário inscrito no SESC e dependentes, +60 anos, professores da rede pública de ensino e estudantes com comprovante]
R$ 2,00 [trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo matriculado no SESC e dependentes]

Fone: 11 2076-9700 Ingressos à venda na bilheteria do SESC, a partir de 1º de agosto; sujeitos à lotação da arena de Travessia, que comporta 100 pessoas.

Nenhum comentário: