20 de ago de 2012

FAÇA JUSTIÇA COM AS PRÓPRIAS MÃOS. VOTE!




*Sebastião Misiara
         
O amigo leitor é o caminho mais próximo para que a sociedade veja acontecer as mudanças que espera nas Câmaras Municipais. O eleitor projeta o vereador do futuro no seu voto e na sua militância cidadã. O eleitor faz a seleção dos candidatos. O eleitor é alma da política de uma cidade. Sobre ele recaem, todas as responsabilidades sobre seu próprio destino.
      Konrad Adenauer, Chanceler Alemão disse que “a melhor maneira de ensinar a Democracia é nos municípios. É neles que o trabalho prático e o resultado de uma eleição têm a melhor visibilidade”. Os seguidores de sua visão política, inspirada na Doutrina Social da Igreja, têm a intima convicção de que o regime democrático assegura a igualdade de oportunidades, a justiça, a liberdade e o vigor dos direitos fundamentais.
     Por outro lado, devemos considerar, também, como apontava Burguess, que o governo do povo e pelo povo, deve ser realizado pelos melhores do povo.
    A grande missão dos partidos políticos é a de concorrer para que a democracia se realize pela seleção moral e intelectual dos seus candidatos. Agora, a escolha recai sobre o eleitor.
   Para o filósofo Francis Wolff, o desinteresse dos cidadãos pela política é uma ameaça à democracia. O apolitismo, afirma ele, abre caminho para que “políticos profissionais” cheguem ao poder e, sem sofrer cobranças, trabalham por medidas descoladas das necessidades e dos desejos dos cidadãos.
 É ele quem sentencia que o distanciamento entre governantes e governados é a negação da democracia, aquela lembrada por Adenauer.
 Todos os municípios do país têm uma câmara municipal, mas não são todos que possuem um Poder Legislativo.
É preciso lembrar que o Poder Legislativo ativo, independente, constituído por pessoas dispostas a servir à comunidade, é o mais importante deles, graças à Constituição Cidadã, que lhe confere os direitos para tanto.
Aí reside o maior desafio do eleitor. Levar para esse Poder pessoas capazes de dignificá-lo, honrá-lo e respeitá-lo. Essas, eleitas, transformarão a câmara em poder legislativo, reduto da confiança do povo.
Não há problema do município que não seja problema do Poder Legislativo. Não há problema do cidadão que não seja problema dos legisladores..
A construção do Poder Legislativo Municipal passa pela constante necessidade de a câmara municipal justificar-se junto à sociedade.
A Câmara Municipal só pode tirar acima de si o que lhe esconde se os eleitores compreenderem a importância desse poder e escolher os melhores do povo para assumi-lo.
 Geraldo Alckmin, antes vereador  hoje governador, por sua trajetória sabedor ,dos anseios do povo, criou projetos de importância fundamental e que precisam dos municípios.
São Paulo, “Estado Amigo do Idoso” oferece condições para que os municípios pensem nesse segmento como o maior nos próximos anos, portanto, necessitado de políticas públicas.
Municípios de Interesse Turístico, por onde, através do incremento do turismo, alcançar-se-á o sonhado desenvolvimento sustentado
Finalmente, a preocupação com a população de 46 milhões  (maior do que a Argentina) de pessoas com deficiência, cujas políticas públicas ainda estão longe do desejado.
 Para o eleitor cabe perguntar, quantos líderes municipais estão preocupados com esse farto material de igualdade social?
É por aí que se cria o futuro que se almeja.

                                                                                          
*Presidente da União dos Vereadores do Estado de São Paulo

Nenhum comentário: