12 de jul de 2012

"Danças Im (Puras)" no Teatro Sergio Cardoso


DANÇAS [IM]PURAS no Teatro Sergio Cardoso

Figura 1 Cena do espetáculo - Foto Wolfgang Pannek

Nelson de Sá - FOLHA DE S.PAULO, sobre a companhia:
"O Taanteatro é caso à parte. Suas peças são bem realizadas, com intenso cuidado na criação e acabamento. O desenvolvimento dos textos e o estudo da ação física apontam para caminhos únicos."

TAANTEATRO COMPANHIA comemora duas décadas de criação cênica com DANÇAS [IM]PURAS, obra inédita e de linguagem ousada que integra o projeto TAANTEATRO 20 ANOS, contemplado pelo Programa Municipal de Fomento à Dança para São Paulo. O espetáculo faz curta temporada no Teatro Sergio Cardoso entre os dias 14 e 22 de julho de 2012.

DANÇAS [IM]PURAS não conta histórias. Por meio de uma atmosfera surreal e misteriosaconvida o público a um encontro elementar com as dimensões poéticas e conflituosas da existência. Composta por um encadeamento de coreografias coletivas, duos e solos, o espetáculo envolve o espectador em situações e sensações intensas, vivenciadas por dançarinos que emergem do labirinto cenográfico - como em um sonho -, e percorrem a cena em trajetos inusitados e radicais para desaparecem sem explicação.

A Taanteatro tem coordenação de Maura Baiocchi, diretora-fundadora, encenadora, coreógrafa, performer e atriz, e acumula em seu currículo mais de 90 espetáculos. Seu trabalho autoral, com técnica e teoria cênicas próprias, alçou-a a uma das mais importantes solistas do país e levou a companhia a diversos países, como França, Alemanha, Japão, Moçambique, Argentina e EUA, além de viajar pelo Brasil, em teatros do Rio Grande do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Goiás, Distrito Federal, Espírito Santo, Pernambuco, Alagoas, Ceará e São Paulo.

Os figurinos e objetos de cena Candelária Silvestro, unidos ao cenário de Roque Onofre Fraticelli (ambos renomados pintores argentinos), transformam os bailarinos em seres híbridos e ambíguos, portando cocares indígenas recheados de lixo tecnológico, girassóis, ou uma pomba da paz dilacerada com cabeça gigante. Um par de luvas de boxe, manchadas de sangue, e bailarinos usando imensos fios de cabelo pelo corpo: Um universo onírico que leva o público a sonhar acordado.

O compositor brasiliense Cláudio Vinicius Froes Fialho compôs a trilha sonora do espetáculo de uma forma bastante inusitada: gravou os sons corporais e vocais produzidos pelos bailarinos durante suas ações coreográficas para gerar uma sinfonia eletroacústica que permeia a encenação do espetáculo ao longo de 70 minutos.

Fundada em 1991 e dirigida por Maura Baiocchi e Wolfgang Pannek, a Taanteatro se dedica à pesquisa e criação teatro-coreográfica. Encenações inaugurais: O Livro dos Mortos de Alice (grande elenco) no Sesc Pompeia e Frida Kahlo: Uma Mulher de Pedra dá Luz à Noite (solo) no TUCA - Teatro da Universidade Católica de São Paulo. Desde a sua fundação criou mais de 40 espetáculos sobre a vida e obra de artistas e poetas como Frida Kahlo, Florbela Espanca, Lewis Carrol, Antonin Artaud, Lautréamont, Fernando Pessoa, Robert Walser, George Tabori, Hölderlin, Beckett, Shakespeare e Nietzsche. Também concebe performances a partir de vivências e narrativas dos próprios integrantes da companhia. A maioria de suas encenações é autoral.
Ficha Técnica
Concepção, direção e coreografia: Maura Baiocchi Assistente de coreografia: Alda Maria Abreu Elenco:Maura Baiocchi, Valter Felipe, Alda Maria Abreu, Vlamir Sibylla, Roger Valença, Rodolfo Osses Cenário: Roque Onofre Fraticelli Música: Cláudio Vinícius Froes Fialho Iluminação: Rodrigo Garcia Figurino e objetos de cena:Candelária Silvestro, Maura Baiocchi Assistente de figurino: Lilian Soarez Preparação corporal: Wolfgang Pannek, Maura Baiocchi Produção: Wolfgang Pannek

Nenhum comentário: