30 de mai de 2012

Entrevista com Danilo Bueno, autor de O Céu de Baco

Confira a entrevista com autor Danilo Bueno após o lançamento do seu livro O Céu de Baco – Uma viagem aos prazeres do vinho.
Editora Baraúna: Quais eram suas expectativas quanto ao lançamento?
Danilo Bueno: Minhas expectativas eram as de apresentar o mundo do vinho, o qual eu trato no livro, O Céu de Baco. Desejava despertar o interesse e encantar os convidados tornando-os iniciantes iniciados na arte da degustação, principal propósito do livro. Além, é claro, de compartilhar momentos agradáveis degustando bons vinhos e queijos e promovendo O Céu de Baco a todos os presentes.
E B: Como foi a noite de lançamento, atendeu as suas expectativas?
D B: A noite de lançamento foi repleta de alegria e até um certo glamour que nos foi emprestado pela musicista Cely Rodrigues e sua Harpa. O local também colaborava muito para este clima elegante, o lançamento ocorreu no Museu da Casa Brasileira, uma imponente mansão localizada na Av. Brigadeiro Faria Lima em São Paulo.
Foi realmente muito agradável. Presenças como a do comentarista esportivo Osmar Santos, a antropóloga e consultora de etiqueta Lígia Marques, o jornalista Delen Bueno Parques, o empresário Erich Willner e outras pessoas que são notórias viventes do mundo do vinho, além de serem formadores de opinião contribuíram com sua presença e atenção.
Ao fim, as felicitações recebidas por todos os convidados e os comentários de grande satisfação por terem participado do evento que se desenvolveu com uma palestra e degustação, fecharam esta noite com chave de ouro. Não podia ter sido melhor!
E B: O que você espera de agora em diante?
D B: É notório e tactível o grande interesse manifestado pelo público presente. Espero que eles me ajudem na divulgação do Céu de Baco e que eles sigam os conselhos e dicas, progredindo assim nos estudos da degustação vinífera. Já tenho planejada algumas palestras como as do lançamento envolvendo degustação em outras cidades do Estado de São Paulo e através do Brasil. Já tenho um convite para ser realizado no Estado de Santa Catarina.
E B: Você já está recebendo algum retorno do público quanto ao livro O Céu de Baco? E qual a sensação?
D B: Sim. Não apenas após este evento, mas desde que ele chegou às livrarias tenho recebido mensagens de congratulações dos leitores e alguns deles fazendo convites para a realização de eventos sobre a degustação vinífera em sua região.

A Universidade Anhembi Morumbi estuda o livro para ser inserido como recomendação de literatura para os cursos de Gastronomia e Hotelaria, o Sindicato dos Hotéis, Restaurantes e Afins de Araraquara e Região também entrou em contato para a elaboração de um curso de capacitação profissional formando Sommeliers (profissionais da degustação de vinhos) para a região do interior de São Paulo.

Eu sempre ouvi em meu círculo familiar a expressão que diz: “Nada resiste ao trabalho”. Assim, a satisfação é muito grande! Ter conhecimento que o seu trabalho é reconhecido, que os leitores valorizam a transmissão do conhecimento e se dizem estar sentindo completamente à vontade para conduzirem um estudo sobre a degustação vinífera. Era este o meu maior objetivo: DESMISTIFICAR O VINHO. Mostrar que ele é um alimento funcional ao alcance de todos e acessível!

E B: Tem alguma parte favorita no livro que você possa nos contar?
E B: É complicado pedir ao autor destacar uma parte do livro como a sua preferida. Não posso dizer que eu tenho uma parte preferida, pois em cada parte do livro é evidente o meu prazer em tê-lo escrito. Contudo, posso dizer que quando chega-se à parte dos exercícios de degustação, realmente o livro fica muito “saboroso”.

E B: Quais foram suas inspirações?E B: Quem sempre me inspirou em minhas ações foram meus pais. Eles foram grandes realizadores em tudo o que podiam e me passaram uma base educacional muito sólida bem como valores para superar os limites e ir atrás de meus sonhos.

E B: Quando você começou a escrever?D B:Sempre escrevi. Mas, fazia isto de modo velado, íntimo. Escrevia poesias e pequenas estórias cotidianas, mas nunca tive a coragem de levar adiante buscando uma publicação. Isto mudou quando eu percebi que há um grande número de pessoas entusiastas do vinho, mas sem ter muita informação, pois a literatura sobre a degustação de vinhos costuma ser muito cansativa, técnica e, sobretudo, cara.

Meu maior motivador foi o de poder transmitir meus conhecimentos técnicos de modo leve, despretensioso, agradável e facilmente compreensível. Não como se fosse uma aula, mas como uma conversa direta e aproximada do leitor. Também tive o cuidado de que fosse bem acessível ao leitor, ficando no teto de R$ 30,00. Para que não comprometa o dia-a-dia do leitor e que popularize o conhecimento, deixando-o ao alcance do maior número possível de pessoas.

E B: Quando foi o seu primeiro contato com os livros?
D B: O primeiro contato sempre vem com a alfabetização. No meu caso, minha mãe era a principal incentivadora da leitura. Mas, meu maior interesse, quando jovem eram os livros científicos, isto fez com que eu desenvolvesse um sólido interesse na disseminação do conhecer científico de diversas áreas.

E B: Quais são os seus livros favoritos? E autores favoritos?D B: Meus livros favoritos são O Universo Numa Casca de Noz e Uma Breve História do Tempo de Stephen Hawking e A IBM e o Holocausto de Edwin Black.

E B: Você pretende escrever mais livros?
D B: Sim, com certeza. O Céu de Baco – Uma viagem aos prazeres do vinho é apenas o primeiro de uma série de 10 volumes dedicados ao ensino enológico. Além deste, há outros dedicados ao estudo e desenvolvimento da ciência Gastronômica que estão em desenvolvimento. E outros, mas são surpresa. Estes são meus projetos para os próximos quatro anos.







Colaboradora de Pautas
Evilyn Cristhina da Silva






----




Você pode ajudar  este projeto

Uma dramaturgia diferente que vai levar você para um mundo encantado com fatos reais.

Ajude a salvar a fauna e a flora apoiando este projeto que educa crianças e adultos de todo país por um mundo mais verde.



Nenhum comentário: