24 de abr de 2012

Confirmada a prorrogação de Guerra e Paz, de Portinari até 20 de maio de 2012




Os monumentais painéis expostos em São Paulo poderão ser conferidos por mais um mês

Diante do enorme sucesso de público, a exposição Guerra e Paz, de Portinari permanecerá no Memorial da América Latina até 20 de maio, com entrada franca. O público poderá conferir, pela primeira vez, e talvez última, os monumentais painéis de Portinari e cerca de 100 dos estudos do pintor que precederam sua obra máxima. A exposição histórica, sem precedentes, é realizada pelo Projeto Portinari e já recebeu mais de 120 mil pessoas.
A exposição Guerra e Paz, de Portinari apresenta em première mundial os dois últimos e maiores murais criados por Candido Portinari (1903-1962), "Guerra" e "Paz", após minucioso trabalho de restauro, realizado entre fevereiro e maio de 2011, que trouxe de volta às obras o cromatismo intenso que caracteriza o trabalho do pintor.
Os monumentais murais estarão expostos junto a cerca de 100 dos estudos originais preparatórios para  "Guerra" e "Paz", além de uma centena de documentos históricos, entre cartas e fotos, que contam, em detalhes, toda a trajetória de criação das obras, encomendadas pelo governo brasileiro para presentear a sede da ONU, em Nova York.

“É uma exposição histórica, sem precedentes, oportunidade única de ver ‘Guerra’ e ‘Paz’ no Brasil reunidos aos estudos. Nem o próprio pintor teve a chance de ver todo este material em seu conjunto”, afirma João Candido Portinari, fundador e diretor geral do Projeto Portinari, responsável pela realização do Projeto Guerra e Paz.

Os murais são compostos, ao todo, por 28 placas de madeira compensada naval, com 2,2 metros de altura por cinco metros de largura e pesam 75 quilos cada uma. A área total pintada, uma superfície de 280 metros quadrados, é maior do que a do “Juízo Final”, de Michelangelo, na Capela Sistina.
São Paulo é o primeiro destino da fase itinerante das obras, que depois farão escala em outros países, como Japão e Noruega (em Oslo, por ocasião da entrega do Prêmio Nobel da Paz em dezembro de 2012).

O local e a cenografia

Para assumir a coordenação geral da exposição, o Projeto Portinari convidou a empresa Expomus. Guerra e Paz, de Portinari ocupará três espaços do Memorial da América Latina. Com cenografia assinada por Felipe Tassara e Daniela Thomas, “Guerra” e “Paz” estarão no Salão de Atos e poderão ser vistos pelo público em grupos de 150 pessoas, devido à limitação do espaço. Uma apresentação audiovisual de cerca de 9 minutos será projetada sobre uma tela também monumental a cada hora, mas a visitação aos painéis não é restrita a estas sessões.

Já na Galeria Marta Traba estarão reunidos cerca de 100 dos 180 estudos originais preparatórios para “Guerra” e “Paz”, já catalogados pelo Projeto Portinari, junto a documentos históricos, como cartas, depoimentos e fotos, que contam, em detalhes, toda a trajetória de criação das obras. Obras de coleções internacionais, como “Feras”, do Museo del Novecento de Milão, e “Mulher Ajoelhada”, de uma coleção particular, também merecem destaque na mostra.

Outro espaço a visitar será a Biblioteca Victor Civita, que apresentará, sob forma digital, a obra completa de Portinari por ordem cronológica. Pertencente ao Projeto Portinari, o acervo é resultado do levantamento e catalogação de quase 5 mil obras e aproximadamente 30 mil documentos relacionados a estas obras, à vida e à época do pintor.

“O Memorial da América Latina, além de dispor do espaço ideal para apreciação dos murais ‘Guerra’ e ‘Paz’, está localizado em uma área de fácil acesso a toda a população, o que está totalmente de acordo com o objetivo maior do Projeto Guerra e Paz, e também o do Projeto Portinari: dar acesso para que o grande público conheça a obra e a mensagem de Portinari. Por isso, fazemos questão que a exposição Guerra e Paz, de Portinari seja sempre apresentada com entrada franca”, diz Maria Duarte, diretora-executiva do Projeto Guerra e Paz.

“Concebido por Darcy Ribeiro e Oscar Niemeyer, o Memorial carrega o ideal da integração dos povos, uma bandeira brasileira pela paz. Promover essa exposição no local tem um significado a mais pela parceria e amizade que os dois tiveram a vida toda”, complementa João Candido Portinari.

Patrocinadores e apoiadores

A concretização do Projeto Guerra e Paz só foi possível com o apoio financeiro do BNDES, e a realização da exposição Guerra e Paz, de Portinari em São Paulo é apresentada pela Brazilian Finance and Real Estate (BFRE), companhia referência no mercado brasileiro na estruturação de negócios financeiro-imobiliários para pessoas físicas e jurídicas.

A mostra conta também com o patrocínio de O Boticário, do Banco do Brasil e dos Correios. As empresas Queiroz Galvão Exploração e Produção e Redecard também participam do projeto.

Para a realização da exposição, também foi fundamental o apoio da ONU, do Itamaraty, do Ministério das Relações Exteriores, do Ministério da Cultura, do Governo de São Paulo, da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, da Fundação Memorial da América Latina e da TV Globo São Paulo.

Sobre os painéis “Guerra” e “Paz”

Entre 1952 e 1956, Candido Portinari realizou seus dois últimos e maiores murais, “Guerra” e “Paz”, encomendados pelo governo brasileiro para presentear a sede da ONU, em Nova York. Dag Hammarskjold, secretário-geral da ONU à época da doação, afirmou ser aquela “a mais importante obra de arte monumental” doada à organização.

Localizados em local nobre, no hall de entrada da Assembléia Geral, mas de acesso restrito aos delegados das Nações, os murais “Guerra” e “Paz” não podem ser vistos ― nem mesmo durante as visitas guiadas da ONU ― por razões de segurança.

Por esse motivo, o Projeto Portinari sempre sonhou em expor “Guerra” e “Paz” ao grande público, e uma grande reforma no edifício sede da ONU, entre 2010 e 2013, proporcionou esta oportunidade inédita.

Em dezembro de 2010, o retorno de “Guerra” e “Paz” ao Brasil foi celebrado com a exposição dos murais no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. O evento reuniu mais de 44 mil pessoas em apenas 12 dias. Em seguida, passaram por um rigoroso trabalho de restauro no Palácio Gustavo Capanema, em ateliê aberto ao público, durante quatro meses.



SERVIÇO:
Exposição Guerra e Paz,de Portinari
Memorial da América Latina
Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Barra Funda – São Paulo
Entrada pelo portão 4
Data: até 20 de maio de 2012
Terça a domingo, das 9h às 18h
Entrada grátis

Nenhum comentário: